SPRITZBIER




      • SPRITZBIER (Bebida doce, usada na colônia alemã)

250gr de raiz de gengibre ou lirio do brejo.
1 kg de açúcar
 1 pitada de fermento biológico
 2 suco limões e casca de 1 limão só a parte verde
5 litros de água
Modo de Fazer:
Eu caramelei ele com o açúcar com o gengibre numa panela comum. Depois  dissolvi o caramelo com parte da água. 
 Retirei do fogo,  coloquei o limão (suco e casca). Depois de morno dissolver o fermento,coar e colocar em garrafas pet, deixar o fermento agir e guardar geladeira assim não fermente e não gera teor alcoólico.

Com o gosto do gengibre com limão e ambos agridem a garganta parece que é uma bebida destilada.

Legal que dura vários dias na geladeira. É bom tirar o ar das garrafas apertando elas para não estourar com a pressão que vai sendo produzida pelo fermento.

Palmitos genéricos. SErá qUê rola? (em pesquisa)

Em pesquisa. Gravatá sera que dá ? Palmitos alternativos. 
Mais uma PANC?  (palnta alimenticia não convencionais)
Caraguatá (Eryngium horridum)



É nativo, alternativo, que pode ajudar na preservação das especies exploradas. Cresce rápido e produz bastante sementes. Mal tratada por ter espinhos e estragar o pasta. Tratada com fação.... No futuro pode virar palmito e flores ainda verdes..e as portes macias....  Em pesquisa.


Em breve palmito de banana

Pg em construção

TESTANDO

VINAGRE DE FOLHAS DE UVA


250 g de folha de parreira;
250 g de açúcar mascavo ou cristal;
meio litro de água;

Modo de Fazer:
Ferver a água junto com o açúcar e colocar as folhas numa vasilha e adicionar a água fervida e fria.
Depois de colocar os ingredientes, abaixar todos os dias as folhas, ate 20 dias depois dos 20 dias não abaixar mais até os 40.
Depois de fermentar, coar, engarrafar e está pronto.

Obs.: as folhas não podem ter sulfato em cima.
Duvidas quanto tempo dura. Quanto mais desinfetado e bem limpo os utensílios melhor. Tem muitas folhas faz o dobro o triplo...

Coentros

 Coentro (Coriandrum sativum)

Coentro (Coriandrum sativum) da família Apiaceae, cujo fruto é diaquênio cuja folha, usada como tempero ou condimento, exala odor característico. 
O coentro é muito utilizado na culinária brasileira nordestina e também na região Norte. Com valor medicinal.
Originário do sul da Europa e do Oriente Médio, o coentro já era conhecido e utilizado pelos egípcios, não como tempero, mas como planta medicinal.
temperatura melhor para germina 15-20  °C
tempo de germinação 1-3 semanas.



Outra variedade.


 Chicoria do Norte–Coentro de Folhas Grandes- Eryngium foetidum Long Coriander–  Culantro - Mexican Coriander 








LAB-LAB (Dolichos lablab L.) Feijão Mangalô ou Vagem Orelha de padre.

LAB-LAB (Dolichos lablab L.) Feijão Mangalô ou Vagem Orelha de padre.

Planta vigorosa,produtiva, que parece o pé do João, aquele que descolou a galinha dos ovos de ouro.
Citado na literatura como comestível:
As folhas novas cozidas
As flores cru ou cozidas
As vagem e os grão naturalmente verdes ou secos(deixar de molho e jogar a água fora como o feijão comum).

As raízes tuberosas (vale apena pesquisar) Para produzir raízes maiores tire as flores.

Como eu só tenho um por em quanto vou produzir sementes.


Troca de sementes pelo correio https://bancodesementestroca.blogspot.com.br/

É uma leguminosa que possui múltiplos usos na agropecuária: forrageira para pastio, feno ou adubo verde, sendo também utilizada na alimentação humana. Espécie que se supõe originária da África e que é cultivada desde épocas remotas no Antigo Egito e  Índia.

 Trepadeira vigorosa, ideal para grandes alambrados ou caramanchões, farta produção, cada planta produz vários quilos, Ideal para serem preparadas em vagem verde cozido e refogado tipo salada quente ou fria, grãos verdes cozidos e temperado tipo ervilha, ou grãos maduros tipo feijão normal. 
Se você colher apenas as vagens verdes (sem nunca cortar os cachos) terá produção continuada no mesmo cacho por vários meses, o amadurecimento das vagens indica para a planta que ela já produziu as sementes, logo o cacho seca e a planta começa a definhar. Só permita o amadurecimento de vagens quando a planta tiver produzido em torno de 5 meses seguido. Dessa forma você terá produção quase o ano todo. Mesmo a planta tendo definhado, continue cuidando e mantendo ela, no ano seguinte ela brotará rapidamente, florescerá e produzirá com abundância.

 A família dos feijões, são plantas  que entram em associação simbiótica com as bactérias, produzindo compostos de amônia, consequentemente, fixando nitrogênio ao solo, enriquecendo-o.
Colheita:
– A colheita das vagens geralmente terá inicio aos 2 meses após a semeadura. Pode-se colher por até uns 3 anos. Mais plantas mais jovens produzem mais. Plante periodicamente para sempre ter. O meu esta em um vaso grande, mas e recomendado plantar direto. No inverno sofreu pouco apesar do frio de uns 7 a 6 graus. Neste período não produz, mas logo que esquenta começa a florescer. Atrai beija-flor e abelhas...
– As vagens deverão ser colhidas ainda tenras, com suas sementes imaturas.

Tem de diversas cores de flores e grão. Até com a vagem purpura.

Faça DEFENSIVOS NATURAIS.


Defensivo de Macela: controlar pulgões. Ferva 2 litros de água, derrame sobre um punhado de flores de Macela. Deixe amornar e coe. Esta quantidade serve para preparar 10 litros de defensivo.
Defensivo de Arruda: repele formigas. Picar 100 g das folhas, colocar em 1 litro de água. Aguarde 24 horas. Coe e misture a 19 litros de água.
EXTRATO DE CONFREI (Symphytum officinalis).
FUNÇÃO: controlar clorose foliar (amarelecimento) e murcha, em brotação de plantas de vaso. Repor fósforo e promove o crescimento.
INGREDIENTES: planta verde sem raízes: 2 kg, ou seca: 150 g e 2 litros de água. Picar bem a planta e sobre ela colocar água fervendo e tampar. Deixar ate amornar. Para cada 19 litros de água usar 1 litro de extrato. Pulverizar toda a planta, de preferência antes da brotação. Umedeça o solo na região das raízes.
DEFENSIVO DE SAMAMBAIA! Esta samambaia é planta típica de solos ácidas, encontrada em potreiros e áreas de pousio. FUNÇÃO: Controlar pulgões e lagartas em hortas e lavouras. INGREDIENTES: 500 gramas de folhas frescas de samambaia, 2 litros de água.
PREPARO: Colocar as folhas na água, levar ao fogo para ferver durante 30 minutos. Após isto, deixar descansar durante 24 horas. Aplicação: misturar 1 litro deste líquido para cada 10 litros de água e pulverizar sobre as plantas, usando pulverizador ou regador.
DEFENSIVO DE URTIGA!
FUNÇÃO: serve como repelente para pulgões e lagartas em qualquer planta. Use também para dar força às plantas! INGREDIENTES: 500 g de folhas de urtigas frescas e 1 litro de água. Colocar as 500 g de folhas frescas dentro de uma vasilha com 1 litro de água, esmagar bem e deixar descansar durante 2 dias. Aplicação: depois retirar a urtiga, colocar a solução em 10 litros de água e regar as plantas a cada 15 dias ou, em menores espaços de tempo, quando necessário. Trata-se da urtiga verdadeira que tem as folhas pequenas e tem uma substância que causa irritação. Ao colher a urtiga proteger às mãos com sacos plásticos, porque a planta provoca irritação na pele.
DEFENSIVO DE PRIMAVERA, MARAVILHA OU BULGAVILLE! Funções: vírus do tomateiro (vira-cabeça), viroses do feijoeiro. INGREDIENTES: 1 litro de folhas de primavera (rosa ou roxa) + 1 litro de água. Junte as folhas com a água e bata no liquidificador. Coe em pano fino e dilua em 19 litros de água. Pulverize imediatamente em horas frescas do dia. Não pode ser armazenado. Aplique 2 vezes por semana a partir de 10 dias de germinação até o início da frutificação.
ISCAS PARA MOSCA-DAS-FRUTAS!
FUNÇÃO: atrair as moscas e evitar que coloquem ovos, diminuindo o nível de infestação de brocas nas frutas.
INGREDIENTES: 1 colher pequena de vinagre, 700 g de açúcar, 10 litros de água. Misturar os ingredientes. Em uma garrafa plástica fazer 4 furos (um de cada lado) de 2 cm cada na parte mais alta da mesma. Enchê-la até o meio com a mistura. Aplicação: pendurar os frascos nas árvores a mais ou menos 1 metro e meio de altura, sempre do lado que o sol nasce. Distribuir os frascos pelo pomar mais ou menos 2 frascos por planta. Trocar duas vezes por semana.
DEFENSIVO DE SAL E VINAGRE! Combate pulgões, lagartas do repolho, lesma, caramujos e mosca branca.
INGREDIENTES: 100 g de sal, 380 ml de vinagre, 19 litros de água, 100 g de sabão de coco. Misture todos os ingredientes e pulverize as plantas atacadas.
DEFENSIVO DE CRAVO DE DEFUNTO:
RECEITA 1: controlar os nematóides (vermes do solo), nas plantas de horta e como repelente de insetos.
INGREDIENTES: 100 g de ramos e folhas + 1 litro de álbool. Plantar em forma de bordadura ao redor da horta. Esta prática usada durante 3 a 4 meses reduz 90% da infestação de nematóides. Pegar 100 g de ramos e folhas, picar bem miudinho. Deixar repousar em 1 litro de álcool por 24 horas. Aplicação: Antes de aplicar, filtrar. Pulverizar sobre os insetos usando 1 litro desse defensivo em 10 litro da água.
RECEITA 2: combate a pulgões, ácaros e algumas lagartas. INGREDIENTES: 1 kg de talo e folhas + 10 litros de água. Misturar 1 kg de folhas e/ ou talo de cravo de defunto. Levar ao fogo e deixar ferver durante meia hora ou então deixar de molho (picado) por dois dias. Coe o caldo obtido e pulverize nas plantas atacadas.
RECEITA 3: repelente de insetos e nematóides!
200g de folhas e talos de cravo de defunto + 1 litro de ácool. Macerar e misturar as folhas e talos com álcool por 12 horas. Diluir este preparo em 19 litros de água. Coar e pulverizar o preparo sobre as plantas.
DEFENSIVO DE MANIPUEIRA!
FUNÇÃO: combate formigas e nematóides.
FORMIGAS: coloca-se manipueira de mandioca diretamente no formigueiro.
NEMATÓDES: pulverizar as áreas atingidas com a manipueira pura.
DEFENSIVO DE FUMO!
RECEITA 1: controle de pulgões, cochonilhas e grilos.
Fumo - 2 pacotes. Água - 0,5 litro.
Colocar o fumo de molho na água durante um dia. No momento de pulverizar as plantas utilizar a dosagem de 500 ml do preparo para 20 litros de água no pulverizador.
RECEITA 2: pulgões, lagartas, percevejos e mariposas. Fumo de corda: 5 cm. Álcool: 1 litro. Água: 1 litro.
Picar o fumo, juntar a água e o álcool deixar curtir por 24 horas. Diluir 1 litro da para 20 litros de água.
RECEITA 3: controle de pulgões, cochonilhas e grilos.
Fumo de corda:15 a 20 cm. Água: 1 litro.
Coloque o fumo em corda deixando de molho durante 24 horas. Coe. Para cada 19 litros da água, use 500 ml.
RECEITA 4: lagartas e pulgões em plantas frutíferas e hortaliças. Fumo de corda: 100 g. Álcool:1 litro. Sabão de coco: 100 g. Misture 100 g de fumo em corda cortado em pedacinhos com 1 litro de álcool. Junte 100 g de sabão e deixe curtir por 2 dias. Aplicação: para pulverizar plantas utilize 1 copo do produto em 15 litros de água.
RECEITA 5: vaquinhas, pulgões, cochonilhas, lagartas.
Fumo de corda: 15 cm. Álcool: 500 ml. Água: 500 ml. Sabão de coco: 100 g.
Corte o fumo em pequenos pedaços e junte a água e o álcool. Misture em um recipiente deixando curtir durante 15 dias. Decorrido esse tempo, dissolva o sabão em 10 litros de água e junte com a mistura já curtida de fumo e álcool. Pode ser aplicado com pulverizador ou regador.
RECEITA 6: pulgões, vaquinhas, cochonilhas.
Querosene: 100 ml. Sabão em pó: 3 colheres (sopa).
Fumo: 1 litro de calda. Água: 10 litros.
Para o preparo da água de fumo coloque 20 g de fumo de corda e picado em 1 litro de água, fervendo essa mistura durante 30 minutos. Após, côa-la em pano fino, adicione 3-4 litros de água limpa e utilize o produto obtido no mesmo dia. Em seguida, aqueça 10 litros de água e junte os 100 ml de querosene e as 3 colheres (sopa) de sabão em pó. Deixe resfriar em temperatura ambiente e adicione então 1 litro de calda de fumo.
RECEITA 7: pulgões e lagartas.
Folhas de fumo: 1 kg. Água: 15 litros.
Juntar as folhas de fumo e os 15 litros de água por 24 h. Preparo: a solução é coada e adicionada em um pouco de sabão. Aplicação: pulverizar conforme a receita acima ou no solo na forma de pó feito com folhas secas ou pedaços de folhas colocadas no chão em cobertura.
RECEITA 8: controlar brocas em arvores frutíferas.
Fumo picado: 100 g. Água: 2 litros. Ferver o fumo na água por 20 minutos. Juntar este extrato com pasta sulfocálcica e pincelar sobre os furos das brocas.
Não usar no tomate e batata, nunca!
- Os preparos que somente utiliza água devem ser utilizados no mesmo dia, o produto perde o efeito se guardado por mais de 8 horas;
- Somente 3 dias após a aplicação do fumo deve-se fazer a colheita;
- Os preparos feitos à base de álcool podem ser armazenados desde que protegidos à luz solar com jornal etc. (duram até 6 meses).
DEFENSIVO DE QUEROSENE E SABÃO!
Sabão de coco: 200 g. Querosene: 1 litro. Água: 1 litro.
Pegar as 200 gramas de sabão de coco e desmanchar em 1 litro de água quente. Depois, na mistura ainda quente, acrescente 1 litro de querosene.
RECEITA 1: controle de lagartas
Usar 200 ml (copo americano) do produto e acrescentar 20 litros de água para aplicar em pulverização.
RECEITA 2: controle de cochonilhas, pulgões, ácaros, mosca-da-fruta, percevejo.
Use 1 litro do produto para 19 litros de água e pulverize.
Para aplicação em pincelamento de caules, engrosse a calda adicionando farinha de trigo.
DEFENSIVO COM ÁGUA DE SABÃO! O sabão serve para repelir os insetos como pulgão, cochonilhas e lagartas. INGREDIENTES: sabão de coco: 1 Kg (5 barras - 200 g); água: 5 litros.
Lacere 1 Kg ou (5 barras - 200 g) do sabão para desmanchar em 5 litros de água quente mexendo bem. Aplicação: acrescentar 15 litros de água. Pulverizar esta mistura imediatamente sobre as plantas.
DEFENSIVO DE ÁGUA COM CINZA!
FUNÇÃO: A cinza originada da queima de madeira ou lenha contém potássio e outros minerais, que além de fertilizante serve como repelente de pragas.
RECEITA 1: controle de lagartas e vaquinhas.
Cinza de madeira: 9 copos. Cal virgem: 9 copos. Água: 18 litros. A cinza deve ser colocada em água, deixando repousar por, pelo menos, 24 horas. Em seguida, misturada com a cal virgem e coada. Pulverizar!
RECEITA 2: controle de insetos sugadores e larva minadora. Ingredientes: Cinza de madeira: 9 copos. Água: 18 litros. Querosene: 300 ml.
Misture a cinza a água. Descansar por 24 horas. Coe e acrescente 300 ml de querosene. Misture e pulverize!
RECEITA 3: controle de lagartas e pulgões.
Cinza de madeira: 2 kg. Água: 10 litros.
Deixe a mistura descansar por 1 dia. Coe e pulverize.
RECEITA 4: para prevenir doenças das raízes de repolho, couve, beterraba... polvilhar cinza fortemente ao redor das plantas. Para proteger árvores do ataque de brocas, faça uma pasta de cinza e água e reboque os troncos.
DEFENSIVO DE SABÃO E ÓLEO MINERAL!
FUNÇÃO: controle de cochonilha, pulgões, lagartas e outros insetos. Sabão de coco: 200 gramas; 500 ml de óleo mineral; 500 ml de água.
Derreta o sabão na água quente e misture ao óleo mineral. Use 200 ml da mistura em 20 litros de água. Repetir a pulverização a cada 15 dias.
DEFENSIVO DE ÓLEO DIESEL E SABÃO!
FUNÇÃO: usado no controle de cochonilhas e pulgões.
INGREDIENTES: 200 ml de óleo diesel; 3 barras de 200 g de sabão de coco; 3 litros de água. Derreter o sabão na água quente e depois misturar ao óleo diesel. Misturar o produto em 16 litros de água e pulverizar.
DEFENSIVO DE ANGICO PRETO!
1 kg folhas de angico preto e 10 litros de água.
Macerar as folhas do angico e misturar a água, deixar curtir por 10 dias, completado esse período, coar e engarrafar para guardar, em local escuro de preferência enrolar com um pano.
RECEITA 1: lagartas, vaquinhas e besouros.
Diluir 1 litro do produto para cada 10 litros de água.
RECEITA 2: controle de formigas e cupins.
Coloca-se puro, com regador ou pulverizador.
DEFENSIVO DE ALHO!
RECEITA 1: pulgões, cochonilhas e ácaros.
200 g de alho e 1 litro de água.
Esmagar o alho e adicionar a água, coar e usar.
RECEITA 2: fungos, bactérias, míldio e ferrugem.
1 kg de alho; 5 litros de água; 100g de sabão; 20 colheres (sopa) de óleo mineral.
Os dentes de alho devem ser moídos e deixados repousar por 1 dia, em 20 colheres de sopa de óleo mineral. Em outro vasilhame, dissolve-se 100 g de sabão de coco (picado) em 5 litros de água, de preferência quente. Após a dissolução do sabão, mistura-se a solução de alho. Antes de usar, é aconselhável filtrar e diluir a mistura em 15 litros de água. Concentrações variam de acordo com o tipo de pragas a combater.
Obs.: Quando pulverizado sobre as plantas, depois de 36 horas não deixa cheiro nos produtos agrícolas.
DEFENSIVO DE PIMENTA VERMELHA (MALAGUETA).
INDICAÇÕES: pode ser empregada como um defensivo natural em pequenas hortas e pomares. Tem boa eficiência quando concentrada e misturada com outros defensivos naturais, no combate a pulgões, vaquinhas, grilos e lagartas. Obedecer a um período de carência mínima de 12 dias da colheita, para evitar obter frutos com fortes odores.
RECEITA 1: fumo de corda picado - 50 g
Pimenta vermelha (malagueta) - um punhado
Álcool - 1 litro
Sabão em pó - 250 g
Dentro de 1 litro de álcool, coloque o fumo e a pimenta, deixando essa mistura curtir durante 7 dias. Para usar essa solução, dilua o conteúdo em 10 litros de água contendo 250 g de sabão em pó dissolva ou então, detergente, de modo que o defensivo grude nas folhas e nos frutos.
RECEITA 2: pimenta vermelha (malagueta) - 1.250 g. Água - 500 ml. Sabão de coco ou em pó - 12 colheres (sopa). Bater as pimentas em um liquidificador com 500 ml de água até a maceração total. Coar o preparado e misturar com 12 colheres (sopa) de sabão de coco ou em pó, acrescentar então os 10 litros de água, pulverizar sobre as plantas.
No caso de hortaliças e plantas medicinais, aconselha-se respeitar um intervalo mínimo de 12 dias antes da colheita.
DEFENSIVO DE PIMENTA-DO-REINO!
FUNÇÕES: combate de pulgões, ácaros e cochonilhas.
INGREDIENTES: pimenta-do-reino (moída) - 100 g
Sabão de coco - 60 g
Álcool - 1 litro
Água - 1 litro
Deixe a pimenta-do-reino no álcool durante 7 dias. Dissolva o sabão na água fervente. Retire do fogo e junte as misturas. Utilize um copo cheio para cada 10 litros de água, fazendo 3 pulverizações, com intervalo de 3 dias entre elas.
DEFENSIVO DE TIMBÓ!
FUNÇÕES: combate pulgões, certas lagartas, trips (raspador) e alguns ácaros.
RECEITA 1: raízes de timbó com diâmetro de 1 cm - 100 g
Água- 10 litros
Sabão de coco - 50 g
Misturar as raízes de timbó, lavadas em pedaços ou transformadas em pó, com a água e o sabão e deixar descansar por 24 h, filtrar e pulverizar sobre as plantas.
RECEITA 2: raízes de timbó - 500 g
Acetona ou álcool - 2 copos e meio
Pegar as 500 g de raízes de timbó, picar em pedaços finos e deixar secar a sombra por 3 a 4 dias. Depois de secas pegar estes pedacinhos e triturar (pode ser usado forrageiro) de forma que fique semelhante à serragem, colocar num vidro com tampa e acrescentar os 2 copos e meio de acetona ou álcool (etanol). Tampar bem e deixar descansar por 24 h. Aplicação: antes de usar, filtrar o produto com um pano fino. Usar 100 ml de produto para 10 litros de água e pulverizar sobre as plantas.
RECEITA 3: macerar as raízes em água, o que resulta em líquido leitoso, que é pulverizado sobre as plantas. Aplicação: 200 ml do líquido para 19 litros de água.
DEFENSIVO DE CAVALINHA (Equisitum sp) E CAMOMILA
FUNÇÃO: como fortificante, ajudar controlar doenças nas folhas do tomateiro.
INGREDIENTES: cavalinha (seca) - 300 g
Camomila - 100 g
Água - 11 litros
1º) colocar de molho em 1 litro de água, por 2 dias, as flores de camomila.
2º) ferver a cavalinha nos 10 litros de água, durante 20 minutos. Deixar amornar, com a vasilha tampada.
3º) colocar no chá de cavalinha água de camomila, que deve ter sido preparada 2 dias antes.
Para cada 20 litros de água, usar 1 litro de preparo e pulverizar as plantas.
Obs.: outra forma de usar a camomila é a seguinte: deixa-la de molho em água por 2 dias, misturar água e pulverizar sobre as plantas.
DEFENSIVO DE CEBOLA (Allium cepa) E ALHO (Allium salivumI). FUNÇÃO: controlar pulgões em cebola, beterraba e feijão.
INGREDIENTES: cebolas - 3 médias
Alho - 3 dentes
Água - 10 litros
Moer ou triturar a cebola e o alho, misturar bem em 5 litros de água, espremer bem para sair todo suco, coar e misturar ao restante da água. Aplicação: coar e pulverizar sobre as plantas 1 vez por semana.
DEFENSIVO DE EXTRATO DE PIMENTA DO REINO COM ALHO E SABÃO! FUNÇÃO: controlar pragas das solanáceas (batata inglesa, berinjela, pimentão, tomate), mas também pragas de flores, hortaliças, frutíferas, grãos e cereais.
INGREDIENTES: pimenta do reino (moída) - 100 g
Álcool - 2 litros
Alho - 100 g
Sabão de coco - 50 g
Pegar as 100 g de pimenta, juntar a 1 litro de álcool em vidro ou garrafa, com tampa. Deixar em repouso por uma semana. Triturar as 100 g de alho e juntar a 1 litro de álcool em vidro ou garrafa, com tampa. Deixar em repouso por uma semana. Aplicação: na hora de usar, dissolver as 50 g de sabão em 1 litro de água quente, pegar um copo de extrato de alho, misturar bem e colocar no pulverizador com 10 litros de água. Agitar bem a mistura e completar com o restante de água, ou seja, até completar 20 litros.
Obs.: dar carência (intervalo) de 5 dias entre a pulverização e a colheita. Pulverizar nas horas mais frescas do dia e usando roupas de proteção.
DEFENSIVO DE EXTRATO DE PIMENTA DO REINO, PIMENTA MALAGUETA, PIMENTA CUMARI E ALHO.
FUNÇÃO: combate pulgão, vaquinha e bicho minador.
INGREDIENTES: pinga - 2 litros
Alho - 200 g
Pimenta do reino - 50 g
Pimenta malagueta - 50 g
Pimenta cumari - 50 g
O alho é amassado e vai para o galão com casca e tudo. A pimenta malagueta é cortada, a cumari, amassada e a pimenta-do-reino, moída. A pinga vai logo depois, colocando em poucas proporções e sempre chacoalhando toda a mistura, terminado os 2 litros de pinga, a calda vai ficar 20 dias no mínimo. Quanto mais tempo ficar melhor. Aplicação: da solução, vão 20 g de açúcar mascavo, o que corresponde a uma colher de sopa bem cheia. 10 litros de água, 50 ml da calda, o que dá 3 colheres de sopa e meia do produto, e 35 ml, ou 2 colheres de sopa e meia, de vinagre.
ISCAS DE CABAÇAS VERDES! Função: atrair as vaquinhas e evitar o infestamento da lavoura. Cortar as cabaças ao meio da lavoura. Importante proteger as cabaças do sol e da chuva, para durarem mais. Pedaços de latas ou garrafas plásticas, sem o fundo, podem ser usadas para esta proteção. Aplicação: colocar de 2 a 4 estacas a cada 10 metros quadrados ( 10 metros x 1 metro ou 5 metros x 2 metros), trocar as iscas a cada 7 a 15 dias conforme as condições do tempo e das iscas. Verificar diariamente as iscas e esmagar as vaquinhas presentes nelas.
DEFENSIVO DE ENXOFRE!
FUNÇÃO: controle de doenças como o oídio em parreiras de uva, pepino e melancia; controle de pragas como cochonilhas, ácaros, carunchos e gorgulhos (furão);
RECEITA 1: Para pulverização de plantas
INGREDIENTES: enxofre ventilado ou puro - 100 g
Água - 20 litros
Óleo mineral - 20 ml (1%)
Umedecer aos poucos o enxofre até formar uma pasta; depois, acrescentar o restante da água e misturar bem. Após de bem misturado, coloque o óleo mineral, misturando mais uma vez. A solução deve ficar bem misturada. Aplicação: pulverizar as plantas, evitando usar na época de florescimento.
RECEITA 2: Para usar em galpões e barracões contra carunchos e gorgulhos (furão) que atacam os grãos armazenados
INGREDIENTES: enxofre puro - 10 g
Álcool - 25 ml
Misture o enxofre e o álcool. Aplicação: colocar a mistura de enxofre e álcool em uma vasilha (bacia de alumínio) levá-la ao barracão onde estão armazenados os grãos a serem tratados. O barracão deve estar bem vedado para que os gases não escapem. Isto feito por mais três dias e depois abrir para ventilar.
Esta receita serve para fumigar aproximadamente 850 kg de grãos.
DEFENSIVO DE CINZA E CAL!
RECEITA 1: controlar barbas, algas, liquens e musgos em frutíferas.
INGREDIENTES: cal virgem - 300 g
Cinza - 100 g
Água - 10 litros
Dissolver a cal na água e juntar a cinza. Mexer bem. Depois coar. Usar em pulverizações sobre as plantas, durante o inverno, após as podas.
Obs.: se pincelar nos troncos, não há necessidade de coar a mistura.
RECEITA 2: controla lagartas e vaquinhas.
INGREDIENTES: cinza - 2 copos e meio
Cal virgem - 2 copos e meio
Água - 19 litros de água
A cinza será colocada em água 24 h antes do preparo, deixando em repouso. Aplicação: após coar a solução, elimina-se a parte sólida e o liquido mistura-se com a cal virgem, e pulverizam-se as plantas.
RECEITA 3: controla insetos sugadores e larvas minadoras.
INGREDIENTES: cinza - 2 copos e meio
Querosene - 70 ml
Água - 19 litros
O preparo é o mesmo da receita 2, onde é trocado a cal virgem pelo querosene.

Morus rubra, Mulberry red, amora rubra

E eu xingando a árvore que não amadurece....kkkk Contudo trata-se de uma especie rara de amora vermelha.
* A amora em alemão é chamada "maulbeerbaum"; em espanhol é "moral"; em francês é "murier"; em italiano é "gelso" e em inglês seu nome é "mulberry".

Nome comum: amora vermelha
Tipo: Árvore
Família: Moraceae
Escala nativa: Leste dos Estados Unidos, extremo sudeste do Canadá
Zona: 4 a 8



Características notáveis

Morus rubra, vulgarmente conhecida como amora vermelha, é uma árvore de tamanho médio, espalhando-se em posição vertical para arredondado, de folha caduca.  As árvores são monóicas ou dioicas. As folhas ficam amarelas no outono. Unisexual flores esverdeadas em pequenas catkin-como picos aparecem no início da primavera com flores masculinas e femininas geralmente aparecendo em árvores separadas (dioico). Árvores com apenas flores masculinas, obviamente, nunca dão frutos. As flores fêmeas fertilizadas são seguidas por frutas comestíveis. As frutas são doces e suculentas e podem ser comidas direto da árvore. As frutas também são usadas para geleias, compotas e vinhos.  As frutas também são muito atraentes para as aves.
O nome do gênero vem do nome latino.
Epíteto específico significa vermelho em referência à cor do fruto.

Aviso: Frutas Verde e a seiva leitosa de todas as partes têm baixa toxicidade se comido. Os sintomas incluem alucinações e dores de estômago. Princípio tóxico: Não identificado. 

* A amora em alemão é chamada "maulbeerbaum"; em espanhol é "moral"; em francês é "murier"; em italiano é "gelso" e em inglês seu nome é "mulberry".


Cuidados no uso:

Não utilize folhas frescas para suas preparações fitoterápicas. Deixe-as secar pelo menos um dia para eliminar a toxidade.

As frutas são importante auxiliar no tratamento da constipação, mas, se você comer em excesso, poderá apresentar diarréia.


Não coma frutos verdes, somente os maduros.



* Na mitologia grego-romana a amoreira era dedicada à deusa Minerva/Athena. Muito apreciada nos banquetes romanos, o uso da amora foi mencionado por Ovídio, Horácio e Virgílio. Além disso, foram encontradas representações da amoreira nas ruínas de Pompéia.

* Existe uma lenda que relata o surgimento das amoras vermelha e negra a partir da amoreira branca. Segundo o poeta Ovídio, dois jovens - Píramos e Tisbe - estavam apaixonados, mas suas famílias, que eram inimigas, não permitiam sua união. Um dia, eles decidiram fugir e marcaram um encontro fora da cidade, embaixo de uma grande amoreira branca. Tisbe chegou primeiro e avistou ali perto uma leoa com a boca suja do sangue da caça que acabara de comer. Apavorada, ela saiu correndo, deixando cair seu véu que, dilacerado pela leoa, ficou sujo de sangue. Quando Píramos chegou e encontrou o véu de Tisbe rasgado e marcado de sangue, desesperou-se e, pensando que sua amada estava morta, atravessou seu peito com a própria espada. Seu sangue jorrou e atingiu a amoreira branca. Quando Tisbe voltou e encontrou seu amado morto, pegou a espada e também atingiu o próprio coração. Naquele momento, os frutos da amoreira branca que foram atingidos pelo sangue tornaram-se vermelhos - quase negros - dando origem às amoras vermelha e negra. Por essa razão, acredita-se que o bicho-da-seda só se alimenta da espécie Morus alba (amora branca) porque esta ainda estaria purificada, sem a marca da tragédia dos dois jovens amantes.

* Em tempos antigos, as amoras eram usadas como maquiagem, com a função de ruborizar a face, como um rouge, ou blush.

Agora que descobri, vou testas se as sementes germinam.


Germinação:

Misture as sementes no substrato, tendo certeza de que tem um volume suficiente de material para manter as sementes separadas. Coloque a mistura de sementes em um saco plástico transparente (sacos zip-lock) com um tamanho apropriado para quer fique um pouco de folga (espaço com ar). Escreva a data no saco para que você saiba quando o tratamento foi iniciado.

As sementes necessitam de um período de frio para quebrar a dormência que é naturalmente encontrado nelas, isso é facilmente alcançado colocando o saco de sementes já preparadas, como indicado acima, na geladeira por 8 semanas. É perfeitamente possível que as sementes germinem no saco a estas temperaturas quando eles estão prontos para fazer isso no final do período de pré-tratamento, se isso acontecer,  basta retirar do saco e cuidadosamente planta-las.


Depois do pré-tratamento as sementes de Amoreira-preta são fáceis de germinar!



Encontros 2015 - 2016 links


Vídeo de 1 Encontro




                                          
                                                              3 Encontro
1 https://www.facebook.com/events/1       
https://www.facebook.com/events/2
https://www.facebook.com/events/3
https://www.facebook.com/events/4
https://www.facebook.com/events/5
https://www.facebook.com/events/6
https://www.facebook.com/events/7
https://www.facebook.com/events/8
https://www.facebook.com/events/9


Outubro

Setembro

agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro