Mais um livro em pdf link aqui.


https://www.nature.org/media/brasil/guia-mt.pdf link aqui 
Guia de identificação 
nomes científicos Abarema jupunba (Willd.) Britton & Killip..................48 Alchornea discolor Poepp . ................................................50 Anacardium giganteum W.Hancock ex Engl . .........................52 Anadenanthera colubrina var. cebil (Griseb.) Altschul..............54 Andira cujabensis Benth. ................................................56 Annona coriacea Mart. ..................................................58 Annona crassiflora Mart. ..................................................60 Apeiba tibourbou Aubl . ..................................................62 Apuleia leiocarpa (Vogel) J.F.Macbr. ............................64 Aspidosperma discolor A.DC. ................................................66 Aspidosperma macrocarpon Mart. ..................................................68 Aspidosperma subincanum Mart. ..................................................70 Aspidosperma tomentosum Mart. ..................................................72 Bellucia grossularioides (L.) Triana..........................................74 Bertholletia excelsa Bonpl ..................................................76 Bixa orellana L. ......................................................78 Bowdichia virgilioides Kunth .................................................80 Buchenavia tetraphylla (Aubl.) R.A.Howard......................... 82 Buchenavia tomentosa Eichler ................................................84 Byrsonima coccolobifolia Kunth .................................................86 Byrsonima pachyphylla A.Juss . ................................................88 Byrsonima sericea DC . ....................................................90 Byrsonima umbellata Mart. ex A.Juss. ................................92 Byrsonima verbascifolia (L.)DC. .............................................94 Calophyllum brasiliense Cambess . ...........................................96 índice 9 nomes científicos Cariniana rubra Gardner ex Miers..............................98 Caryocar brasiliense Cambess. ......................................... 100 Caryocar villosum (Aubl.) Pers. .....................................102 Cecropia pachystachya Trécul................................................ 104 Cenostigma macrophyllum Tul. ................................................... 106 Cochlospermum orinocense (Kunth) Steud. ............................... 108 Copaifera langsdorffii Desf. ..................................................110 Curatella americana L. .....................................................112 Dimorphandra gardneriana Tul. ....................................................114 Dimorphandra macrostachya Benth. ...............................................116 Dipteryx alata Vogel..................................................118 Dipteryx odorata (Aubl.) Willd. ..................................120 Emmotum nitens (Benth.) Miers..................................122 Enterolobium schomburgkii (Benth.) Benth. .............................. 124 Eriotheca gracilipes (K.Schum.) A.Robyns .................... 126 Eriotheca pubescens (Mart. & Zucc.) Schott & Endl. .... 128 Erisma uncinatum Warn. ................................................130 Eschweilera nana (O.Berg) Miers.................................132 Garcinia gardneriana (Planch. & Triana) Zappi................134 Genipa americana L. .....................................................136 Guazuma ulmifolia Lam. ..................................................138 Hancornia speciosa Gomes.............................................. 140 Handroanthus ochraceus (Cham.) Mattos .............................. 142 Handroanthus serratifolius (Vahl) S.Grose................................. 144 Hevea brasiliensis (Willd. ex A.Juss.) Müll.Arg. ........ 146 Himatanthus articulatus (Vahl) Woodson ............................. 148 Himatanthus obovatus (Müll.Arg.)Woodson.......................150 Hymenaea courbaril L. .....................................................152 Inga edulis Mart...................................................154 Jacaranda copaia (Aubl.) D.Don..................................156 Jacaranda cuspidifolia Mart...................................................158 Jacaranda rufa Silva Manso...................................... 160 Lafoensia pacari A.St.-Hil........................................... 162 Mabea angustifolia Spruce ex Benth. ............................. 164 Mabea fistulifera Mart.................................................. 166 Machaerium acutifolium Vogel................................................. 168 Maclura tinctoria (L.) D.Don ex Steud. .......................170 Magonia pubescens A.St.-Hil. ..........................................172 Mouriri elliptica Mart. .................................................174 Mouriri pusa Gardner.............................................176 Myracrodruon urundeuva Allemão.............................................178 Ormosia coarctata Jacq. ................................................. 180 Ormosia paraensis Ducke ............................................... 182 Pera heteranthera (Schrank) I.M.Johnst. .................... 184 Physocalymma scaberrimum scaberrimum Pohl ........................... 186 Plathymenia reticulata Benth. ............................................... 188 Pouteria macrophylla (Lam.) Eyma .................................... 190 Pouteria ramiflora (Mart.) Radlk. .................................192 Protium heptaphyllum (Aubl.) Marchand ........................... 194 Pseudobombax longiflorum (Mart. & Zucc.) A.Robyns............. 196 Pterodon pubescens (Benth.) Benth. ............................... 198 Pterogyne nitens Tul. ...................................................200 Roupala montana var. brasiliensis (Klotzsch) .............202 Sapium haematospermum Müll.Arg. .........................................204 Schefflera morototoni (Aubl.) Maguire et al. .....................206 Schizolobium parahyba var. amazonicum (Huber ex Ducke) Barneby ............................................208 Senegalia polyphylla (DC.) Britton & Rose .....................210 Senna silvestris (Vell.) H.S.Irwin & Barneby...........212 Simarouba amara Aubl. .................................................214 Simarouba versicolor A.St.-Hil. ..........................................216 Spondias mombin L. .....................................................218 Strychnos pseudoquina A.St.-Hil. .........................................220 Tabebuia aurea (Silva Manso) Benth. & Hook.f. ex ...................................................222 Tachigali aurea Tul. ...................................................224 Tachigali vulgaris L.G.Silva & H.C.Lima ................... 226 Terminalia argentea Mart..................................................228 Trattinnickia rhoifolia Willd.................................................230 Trema micrantha (L.) Blume........................................ 232 Triplaris americana L. ....................................................234 Vatairea macrocarpa (Benth.) Ducke ...............................236 Virola sebifera Aubl. .................................................238 Vismia japurensis Reichardt .........................................240 Vitex panshiniana Moldenke.........................................242 Xylopia sericea A.St.-Hil. .........................................244
UFFFFa isso tudo é só o índice é mole ou q+. Link acima

Tb tem o índice por família e o nome popular
....................................244 famílias Anacardiaceae 52, 178, 218 Annonaceae 58, 60, 244, Apocynaceae 66, 68, 70, 72, 140, 148, 150 Araliaceae 206 Bignoniaceae 142, 144, 156, 158, 160, 222 Bixaceae 78, 108 Burseraceae 194, 230 Cannabaceae 232 Caryocaraceae 100, 102 Clusiaceae 96, 134 Combretaceae 82, 84, 228 Dilleniaceae 112 Euphorbiaceae 50, 164, 166, 204 Fabaceae 48, 54, 56, 64, 80, 106, 110, 114, 116, 118, 120, 124, 152, 154, 168, 180, 182, 188, 198, 200, 208, 210, 212, 224, 226, 236 Hypericaceae 240 Icacinaceae 122 Lamiaceae 242 Lecythidaceae 76, 98, 132 Loganiaceae 220 Lythraceae 162, 186 Malpighiaceae 86, 88, 90, 92, 94 Malvaceae 62, 126, 128, 138, 196 Melastomataceae 74, 174, 176 Moraceae 170 Myristicaceae 238 Peraceae 184 Polygonaceae 234 Proteaceae 202 Rubiaceae 136 Sapindaceae 172 Sapotaceae 190, 192 Simaroubaceae 214, 216 Urticaceae 104 Vochysiaceae 130 11 nomes populares Algodãozinho / Barriguda-amarela............108 Amargoso / Passarinhão ..............................236 Amendoim-bravo / Crista-de-galo / Amendoim-branco / Passarinho / Madeira-nova ..................................................200 Amendoim-de-arara / Porta-joias / Ovo-frito............................................................132 Amescla / Mescla / Breu..............................194 Amoreira ...........................................................170 Angelim-prata / Morcegueira........................56 Angico-cuiabano ..............................................54 Araticum-abelha / Jaca-de-pobre................58 Aroeira-verdadeira..........................................178 Bacupari / Azedinha ......................................134 Barbatimão / Faveira / Falso-barbatimão ...114 Baru....................................................................118 Burra-leiteira / Leiteiro...................................204 Bingueiro / Pilão-de-macaco / Cachimbeiro-Damata / Jequitibá..................98 Café-bravo / Café-do-pasto / Guajuru......184 Cajazinho / Cajá ..............................................218 Caju-da-mata / Cajuí / Cajuaçu ....................52 Canzileiro / Jacarandá-bico-depapagaio...........................................................168 Capitão..............................................................228 Carne-de-vaca ................................................202 Caroba-da-mata..............................................156 Caroba-do-cerrado / Acarandá-boca-desapo ...................................................................158 Carobinha-do-cerrado ..................................160 Carvoeiro-do-cerrado........................................... Castanha-do-Pará / Castanha-do-brasil / Castanheira ........................................................ 76 Cedrinho ...........................................................130 Cega-machado / Primavera-do-machado.................................186 Champanhe / Cumaru...................................120 Chuva-de-ouro-da-mata / Fedegosodo-mato.............................................................212 Corriola / Curiola / Grão-de-galo ...............192 Crindiúva / Candiuva / Pau-pólvora / Periquiteira........................................................232 Croadinha / Coroadinha / Coroa-de- índice nomes populares frade...................................................................17 4 Dedaleiro / Didal / Mangabeira / Pacari.....162 Embaúba-vermelha........................................104 Fava-de-bezerro / Chuva-de-ouro-docerrado..............................................................106 Favela...................................................................24 Garapa / Grápia / Garapeira / Amarelão.............................................................64 Guapeva / Fruta-banana / Taturubá / Brocado / Cutite..............................................190 Guarantã / Carapanaúba ................................66 Guatambu / Guatambu-da-mata.................. 70 Guatambu-do-cerrado / Peroba-do-cerrado / Pereirão .......................68 Imbiruçu-liso....................................................196 Ingá-de-metro .................................................154 Ingarana ..............................................................48 Ipê-amarelo-da-mata.....................................144 Ipê-amarelo-do-cerrado ...............................142 Ipê-caraíba / Caraíba / Ipê-amarelo-cascudo ....................................222 Jambo-da-mata / Goiaba-de-anta / Araçá-de-anta ................................................... 74 Jatobá / Jutaí / Jatobá-da-mata .................152 Jenipapo ...........................................................136 Justa-conta / Carvoeiro.................................226 Justa-conta-do-cerrado / Cachamorra / Carvoeiro-do-cerrado....................................224 Monjoleiro ........................................................210 Lacre ..................................................................240 Landi / Olandi / Guanandi / Jacareúba.......96 Leiteiro-da-mata / Sucuuba.........................150 Leiteiro-do-cerrado / Angélica / Sucuubado-cerrado .......................................................148 Lixeira / Sambaíba..........................................112 Mamoninha / Leiteiro / Melzinho / Taquari ...............................................................166 Mamoninha-miúda / Taquari .......................164 Mandiocão .......................................................206 Mangaba ..........................................................140 Mangue / Amesclão......................................230 Marôlo / Bruto-da-quaresma........................80 Mirindiba-da-mata ...........................................82 Mirindiba-do-cerrado......................................84 Morcegueira-do-cerrado..............................216 Murici-canjiquinha ...........................................86 Murici-da-mata .................................................90 Murici-do-brejo.................................................92 Murici-do-cerrado............................................88 Muricizão............................................................94 Mutamba / Chico-magro..............................138 Paineira-do-cerrado.......................................126 Paineirinha-do-cerrado ................................128 Pau-d’óleo-de-copaíba / Copaíba / Pau D’óleo ........................................................110 Pente-de-macaco / Escova-de-macaco ..........................................62 Perdigueira / Fedegoso / Mata-menino / Morcegueira ....................................................214 Pinho-cuiabano / Paricá................................208 Pindaibuna / Bicuíba......................................238 Pau-formiga / Novateiro / Pau-de-novato.................................................234 Pequiá / Pequi-da-mata ................................102 Pequi do cerrado ............................................100 Peroba-do-cerrado...........................................68 Pindaíba-prata / Pimenta-de-macaco-damata/ Remela-de-velho ................................244 Puçá-preto / Aboticaba-do-cerrrado ........178 Quina-do-cerrado...........................................220 Rabo-de-arara ................................................116 Seringueira .......................................................146 Sôbre / Casca d’anta / Aderno ...................122 Sucupira-branca .............................................198 Sucupira-preta...................................................80 Tarumã...............................................................242 Tento / Olho-de-cabra...................................182 Tento-mungulu / Olho-de-cabra.................180 Tingui / Timbó..................................................172 Urucum / Colorau............................................. 78 Uvinha / Supiarana...........................................50 Vinhático Amarelinho / Candeia / Vinhático-rajado..............................................188



Crem (Tropaeolum pentaphyllum )

Nomes populares:Crem, batata-crem, crem-de-cipó
É batata, é boa, é saudável e é linda!
 Batata-Crem é uma planta  que vive por muito tempo, perde as folhas em determinada época do ano, tem tubérculos ("batatas") de até 1,5 kg.
Os ramos são finos e trepadores, fixam-se em suportes, sendo ideal para cercas vivas.
 Tem folhas compostas de 5 em 5, sem pelo, e de coloração muito mais clara na parte inferior, indo de 2 a 4 cm de comprimento. 
As flores parecem tubos, de cor rosa, ficam na ponta de fios. 

Propagação:
A planta é espontânea em áreas abertas da região sul. Propagação: Para plantá-la utilize as sementes e/ou tubérculos.
As flores, folhas, botões, frutos podem ser consumidas como salada, o consumo mais comum dos tubérculos é em conserva, e as sementes também são comestíveis. Além do potencial uso em cercas-vivas lindas e comestíveis.
 conforme o livro os tubérculos possuem "teor de inulina significativo (2,92g), sendo considerados  antiescorbúticos e depurativos. Há indicação dos tubérculos para redução e controle do colesterol. "  

PHYSALIS variedades

Camapu (Physalis angulata)

Juá-Poca e Balão-Rajado
Os frutos podem ser consumidos in natura, ou cozidos, Esta variedade as folhas preferencialmente devem ser cozidas. 
Conhecido como camapu, juá-poca e balão-rajado. Planta de 35 a 55 centímetros de altura, nativa em todo brasil, com caule semissuculento, sem pelo. Folhas com formato oval, margens semelhantes a uma serra, com "dentes" espaçados e irregular, a face inferior tem pelos finos e de cor mais clara, de 3,5 a 7,5 cm de comprimento. Flores vem cada uma em seu galho, são amarelas. Fruto tem formato de globo, pequeno, liso, amarelo, poupa suculenta e doce, protegido por um cálice. 


Cresce espontaneamente em terrenos baldios, áreas rurais, em diferentes locais. 
A propagação se dá por sementes

Conforme o livro, composição nutricional dos frutos maduros (%):
" Proteina - 6,9 
Calcio - 0,003
Magnésio - 0,19
Manganês - 0,0011
Fósforo - 0,37
Ferro- 0,002
Sódio - 0,0314
Potássio - 2,3 (convertendo daria 370mg/100gr )

(Physalis pubescens L)

Nomes populares:Fisális, Camapu, Balãozinho.
Planta anual, de 80 a 120 centímetros de altura, com muitos ramos, com muitos pelos, caules e ramos quase suculentos. As folhas em formato oval, margens bem serreadas, pelos na parte superior e inferior da folha, de cor bem mais clara na inferior, de 3 a 6 centímetros de comprimento. As flores vem cada qual no seu galho, cor amarela, e bem no interior dela é preto, o fruto tem formato de globo, brilha na cor alegre e viva do amarelo, pequeno mas delicioso e doce, e para consumi-lo precisamos apenas abrir o cálice que protege ele, limpo e saudável, o cálice quando seco traz uma coloração dourada, linda até para artesanato. 
" Os frutos maduros apresentam 2.200 a 3.200 UI/100  de vitamina A, a composição em base seca (%): 
proteína - 10,35
Cálcio - 0,05
Magnésio 0,16
Fósforo o,34 - convertido seria 340mg/100gr."

FENO-GREGO, alforvas, ervinha, fenacho, Fenugreek (inglês), alholva (espanhol), alholva e heno griego (casteliano), fenugrek (francês), fieno greco comune (italiano), hu lu ba, hu-lu-pa e k’u-tou (chinês), mêthi (hindu).

NOMENCLATURA BOTÂNICA: TRIGONELLA FOENUM-GRAECUM
NOME COMUM: FENO-GREGO, ALFORVA, FENUGREEK
FAMILIA: FABACEAE
ORIGEM: INDIA, ÁSIA, EUROPA
ALTURA: 1 METRO DE ALTURA
LUMINOSIDADE: PLENO SOL
CLIMA: VER DESCRIÇÃO ABAIXO

O FENO-GREGO JÁ DESDE ÉPOCAS MUITO ANTIGAS FOI UTILIZADO PELO HOMEM COMO ESPECIARIA E COMO PLANTA MEDICINAL. É TAMBÉM CONHECIDA EM PORTUGUÊS PELO NOME, DE ORIGEM ÁRABE, DE ALFORVA.

É UM CONSTITUINTE ESSENCIAL NO PREPARO DO CURRY INDIANO.

OS PRINCIPAIS PAÍSES PRODUTORES SÃO INDIA, IRÃ, NEPAL, BANGLADESH, PAQUISTÃO, ARGENTINA, EGITO, FRANÇA, ESPANHA, TURQUIA, MARROCOS E CHINA. O MAIOR PRODUTOR DE FENO-GREGO NO MUNDO É A INDIA.

O FENO-GREGO TEM TRÊS FORMAS DE USO NA CULINÁRIA: COMO UMA ERVA (FOLHAS SECAS OU FRESCAS), COMO UM TEMPERO (SEMENTES), E COMO UM VEGETAL (FOLHAS FRESCAS E BROTOS). “SOTOLON” É A SUBSTÂNCIA QUIMICA RESPONSÁVEL PELO CARACTERISTICO CHEIRO DOCE DE FENO-GREGO, O MESMO É UTILIZADO PARA AROMATIZAR E ACRESCENTAR SABOR AOS XAROPES ARTIFICIAIS DE BORDO.

AS SEMENTES SÃO AMPLAMENTE USADAS COMO AGENTE PARA AUMENTAR A PRODUÇÃO DE LEITE EM MULHERES LACTANTES.

UMA INFINIDADE DE ATRIBUTOS RELACIONADOS ÀS SUAS PROPRIEDADES MEDICINAIS É RELATADO COM BASE EM DIVERSOS ESTUDOS CLINICOS AO REDOR DO MUNDO. FAZ PARTE DAS FARMACOPEIAS AYURVEDICA E CHINESA.

AS SEMENTES GERMINADAS DE FENO-GREGO SÃO UMA VALIOSA ADIÇÃO À DIETA DE DIABÉTICOS, GERALMENTE CONSUMIDAS EM SANDUICHES OU EM SOPAS.

FENO-GREGO TEM MUITOS USOS E SÃO DEMASIADAMENTE NUMEROSOS PARA LISTAR TODOS.

A ESPÉCIE NÃO GOSTA DE SER TRANSPLANTADA, SE NÃO TIVER EXPERIÊNCIA EM TRANSPLANTE DE PLANTAS, MELHOR SEMEAR EM LOCAL DEFINITIVO, 0,5 CM DE PROFUNDIDADE, 20 CM DE DISTÂNCIA ( SOLO QUE PROMOVA BOA DRENAGEM E LOCAL ENSOLARADO).O SOLO DEVE SER MANTIDO ÚMIDO ATÉ QUE OS BROTOS VERDES POSSAM EMERGIR DO SOLO; DEPOIS REGAR SOMENTE QUANDO O SOLO ESTIVER SECO.

A QUALIDADE DAS FOLHAS IRÁ DIMINUIR UMA VEZ QUE OS BOTÕES FLORAIS APAREÇAM, A COLHEITA DEVE SER FEITA ANTES DESSE MOMENTO (EM MÉDIA 6 A 8 SEMANAS).http://www.thjardins.com.br/php/shopping_produtos_detalhe.php?produto=857&produto_nome=TRIGONELLA-FOENUM-GRA

ECUM-FENO-GREGO,-ALFORVA,-FENUGREEK

Trigonella foenum-graecum (feno-grego) é uma espécie vegetal da família Fabales,[sendo a espécie mais comum do génerobotânico Trigonella.
O feno-grego já desde épocas muito antigas foi utilizado pelo homem como especiaria e como planta medicinal. É também conhecida em português pelo nome, de origem árabe, de Alforva, e é um dos constituintes do caril (também conhecido como curry) indiano.

Culinários As sementes sāo utilizadas na cozinha asiática e têm um sabor amargo.

As folhas em forma fresca ou ressecada também sāo utilizadas.

Medicinais

As folhas sāo utilizadas como erva medicinal:

Constituintes químicos: ácido malônico, albuminas, carpaína, glicídeosluteonina, oligossacarídeos, proteínas, quercetina, trigogenina. Carbohidratos, (principalmente mucílagens galactomananas), prótidos, compostos fosforados (lecitina, fitina), colina, trigonelina, saponosídeos esteroídicos (diosgenina/yamogenina, fenogrequina), fitosteróis (colesterol, sitosterol), flavonóides (vitexina, saponaretina, trigonelina, homoorientina), ácidos graxos insaturados (oléico, linoléico, palmítico), traços de cumarinas, ferro, manganês, vitamina A, niacina, tiamina, riboflavina, traços de óleo essencial rico em anetol.

Propriedades medicinais: aperitivo, antianêmico, antiinflamatória, anti-séptico, antitumoral, antitussígena, demulcente, digestiva, emoliente, estimulante, fortificante, galactógeno, hepatoprotector, hipoglicêmica suave, laxante, revigorante geral, tônica.

Indicações: anemia ferropênica, anorexia, astenia, celulite, crianças com dificuldades no desenvolvimento físico e psíquico, constituição física fragil, diabete, dispepsia hiposecretora, furunculos, gastrite, inflamações, intestino preso, perda de peso.
Em uso tópico: acne, faringite, blefaroconjuntivite, vulvovaginite, eczema, abscesso, furúnculo.

Parte utilizada: sementes.

Contra-indicações/cuidados: gravidez, lactação. Controlar a glicemia de pacientes diabéticos insulinodependentes (pois reduz a absorção de glucídeos).
Na medicina tradicional chinesa: rins, dor abdominal ou testicular (que agrava com o frío), dor de hérnia, lombares e edemas nas pernas.

Modo de usar:
- infusão ou decocção de 0,5 g a 5 g de pó das sementes para 1/4 de litro de água, a tomar duas ou três vezes durante o dia. (O odor e gosto desagradáveis podem ser diminuídos pela adição de essência de hortelã ou de laranja).
- sementes moídas (diluídas em leite) em cataplasmas quentes: equimoses, inchaços e úlceras.
- decocção para uso interno: ferver 10 a 15 minutos uma colher de sopa de sementes em 400 ml de água, beber de manhã em gejum. Tomar de forma descontínua (semana alternadas). http://www.plantamed.com.br/plantaservas/especies/Trigonella_foenum-graecum.htm


Uma das mais antigas plantas medicinais cultivadas, seu uso é terapêutico desde a antiguidade. O feno-grego, hoje, está presente na agricultura dos países do Mediterrâneo, Argentina, França, Índia, norte da África e nos Estados Unidos. Neste, é vendido sob inúmeras utilidades: como uma comida, condimento, planta medicinal e forrageira.

Fenugreek (trigonella foenum-graecum), em tradução livre feno-grego, é uma erva nativa do sul da Europa e da Ásia, mais conhecido como alfarva. Uma das mais antigas plantas medicinais cultivadas, seu uso é terapêutico desde a antiguidade. O feno-grego, hoje, está presente na agricultura dos países do Mediterrâneo, Argentina, França, Índia, norte da África e nos Estados Unidos. Neste, é vendido sob inúmeras utilidades: como uma comida, condimento, planta medicinal e forrageira.

O feno-grego pode chegar de 0,3m a 0,8m de altura e possui flores brancas, que surgem no começo do verão e desenvolvem-se em uma longa, delgada e amarelo/marrom espécie de casca que abriga sementes de feno-grego, as quais são utilizadas no comércio.

Para que serve
O feno-grego possui diversos benefícios. É considerado anticancerígeno, redutor dos níveis de glicose para diabéticos e possui funções antioxidantes, que impedem danos causados por radicais livres. O feno-grego possui, em suas sementes, proteína, Vitamina C, niacina, potássio, diosgenina (composto que tem propriedades similares ao estrógeno), alcaloides, lisina e L-triptofano, assim como saponinas esteroides (diosgenina, yamogenin, tigogenin e neotigogegin).
Essa erva é considerada uma planta digestiva, associada ao melhor funcionamento do sistema digestório. Pode ser consumida com o intuito da perda de peso, pois é também um laxante natural e inibidor do apetite. Além disso, o feno-grego também diminui o desconforto do período menstrual e minimiza sintomas da menopausa. Pode ser utilizada para tratar anemia, anorexia, celulite, problemas de desenvolvimento infantil, gastrite, inflamações, intestino preso, furúnculos, caspa, queda de cabelo etc.
Um dos principais usos e benefícios do feno-grego, no entanto, é na estimulação da produção de leite em mulheres que amamentam, utilizado para esse fim há séculos. As mães já costumam sentir o aumento de produção de leite 24-72 horas após a primeira dose de feno-grego. A dosagem de 3500mg por dia tem sido a ideal para produzir tais efeitos.
Devido às propriedades estrógenas do feno-grego, suas sementes podem ser utilizadas para aumentar a libido e diminuir os efeitos de ondas de calor e de oscilações de humor, muito comuns na menopausa e na TPM.

Para balancear o colesterol
Estudos mostram que pessoas que tomam 56g de feno-grego diariamente alcançam mudanças significativas nos níveis de colesterol – em torno de 14% de redução. Depois de 24 semanas, as chances de que ocorram ataques cardíacos são diminuídas em 25%. As sementes podem ser consumidas junto às refeições ou na forma de cápsulas, ingeridas com água.

O feno-grego, assim, diminui o nível de colesterol ruim (LDL), diminuindo também as chances de problemas cardiovasculares; age, também, contra as diabetes do tipo 1 e 2, diminuindo a taxa de glicose no sangue.

Para problemas de pele
Pesquisas ainda indicam o feno-grego como um efetivo componente para tratar problemas de pele como abcessos, furúnculos, queimaduras, eczema e gota. Para inflamações de pele mais simples, basta encher uma colher com sementes de feno-grego e tritura-las para virarem pó. Em seguida, misturar esse pó com água morna, mergulhando um pedaço de pano limpo na mistura para depois aplicá-lo nas regiões afetadas da pele.

Para tratar refluxos e azia
As sementes do feno-grego contêm uma grande quantidade de mucilagem, composto que ajuda a acalmar inflamações gastrointestinais, revestindo a mucosa do estômago e do intestino. Polvilhe uma colher de chá de sementes de feno-grego em seu alimento, ou tome uma colher de chá de sementes e engula-os com água ou suco antes de qualquer refeição. Isso servirá como um remédio eficaz contra a azia ou o refluxo.

Benefícios para as mulheres
Além de todos os benefícios já citados, o fenugreek ainda é utilizado como ingrediente de vários chás e outros produtos que ajudam a balancear os hormônios femininos e/ou aumentar os seios. Para isso, recomenda-se adicionar o feno-grego na dieta do dia-a-dia; uma sugestão é consumir 3g de semente diariamente.
Outro efeito do feno-grego é o de aumentar a produção do leite materno. Estudos mostram que ele é capaz de aumentar mais de 500% essa produção após 24-72 horas do seu consumo. A quantidade recomendada é de 1 cápsula de semente de feno-grego (500mg) 3 vezes ao dia.
O feno-grego ainda é muito utilizado por mulheres na hora do parto, pois estimula as contrações uterinas. Mulheres grávidas devem consumi-lo para esse fim apenas com o consentimento de seus médicos.

Feno-grego ajuda a emagrecer?
As sementes dessa erva são ricas em polissacarídeos conhecidos como galactomannan, o qual também é utilizado em suplementos alimentares. Pesquisas mostram que esse composto gera a sensação de saciedade, o que ajuda no processo da perda de peso. A pesquisa ainda mostra que o feno-grego possui mais de 75% de fibras solúveis, o que também auxilia para a sensação de saciedade.

Efeitos colaterais
Feno-grego é considerado seguro para mães que estão na fase de amamentação, se usado com moderação. Contudo, mesmo sendo praticamente um produto natural, essa planta possui efeitos colaterais a longo prazo ou se consumida de forma errada. Alguns exemplos são: suor, urina e/ou leite materno cheirando xarope de bordo (maple syrup), desconforto intestinal e náuseas, aplicações externas podem gerar reações cutâneas indesejáveis etc.
Caso a pessoa tenha alergia a amendoim ou grão-de-bico, deve-se evitar o feno-grego, pois esses alimentos são da mesma família da erva. Diabéticos ou hiperglicêmicos devem utilizá-lo com cautela, pois o feno-grego diminui o nível de glicose no sangue. Asmáticos não devem seguir a indicação de que a inalação de feno-grego ajuda com a doença, pois essa prática poderá até piorá-la.
Outro cuidado que deve-se ter ao consumir o fenugreek é com relação a outras drogas ou ervas que são tomadas regularmente, pois estas podem afetar na absorção da erva. É importante consultar um médico antes de consumir qualquer medicamento, mesmo que este seja natural.


  • Summary
  • Brand:
    Product: Sementes de Feno-Grego (Trigonella foenum graecum)
    Description: Sementes de Feno-Grego (Trigonella foenum graecum) Preço para o pacote de 50 sementes. Fenugreek (trigonella foenum-graecum), em tradução livre feno-grego, é uma erva nativa do sul da Europa e da Ásia, mais conhecido como alfarva. Uma das mais antigas plantas medicinais cultivadas, seu uso é terapêutico desde a antiguidade. O feno-grego, hoje, está presente na agricultura dos países do Mediterrâneo,
    Category: Home

    Iris desabrochando testando app android descrição no próprio vídeo




    Nome Científico: Neomarica candida



    Nomes Populares: Íris-da-praia, Íris-caminhante, Planta-dos-apóstolos, Doze-apóstolos, Falsa-íris, Lírio-roxo-das-pedreiras, Lírio-roxo-das-pedras, Íris
    Família: Iridaceae

    Origem: América do Sul, Brasil

    Mostardas comparando variedades (em construção)






    As sementes compradas como condimento podem ser semeadas (o pó não ser)

    Entrou na moda conhecido como chá de atleta

    Chá de Mostarda Branca – Modo de preparar

    Ingredientes
    1 colher de sopa de erva doce
    1 pedaço de canela em pau
    1 colher de sopa de sementes de mostarda
    1 litro d’águahttps://remediodaterra.com/beneficios-do-cha-de-mostarda-branca/

    variedades de sementes

    mostarda preparada são numerosos, embora todos a partir de três variedades de sementes: Black ( "Brassica nigra"), branco ( "Brassica alba") e marrom ( "Brassica juncea") Em primeiro lugar, nativa do sul da Europa e no oeste da Ásia, é caracterizada por um picante intenso, forte e gosto áspero, e porque suas sementes têm um marrom avermelhado característica do marrom é classificada em dois tipos: oriental, amplamente utilizado na culinária japonesa, e na Índia, como o nome é usado numa variedade de receitas típicos deste branco país tem uma mais suave e menos agitada do que o sabor anterior e serve como uma base para o desenvolvimento de uma cor amarelo mostarda, também chamado americana
    1. A Semente: Da semente se faz um pó que pode ser usado assim mesmo, ou então, em pasta com vinagre e temperos. Ideal na maionese e molhos para salada (principalmente de batatas). Tempera muito bem carnes. A semente pode ser usada para dar gosto em conservas e picles.
    2. Mostarda em pó: É uma mistura de farinha de mostarda, feita com sementes de mostarda e farinha de trigo. Pode-se também adicionar cúrcuma. Muito picante é tradicional na Inglaterra. É usada no preparo de mostarda em pasta e para temperar maionese.
    3. Mostarda com pimenta verde: Elaborada a partir da Dijon, as mostardas temperadas podem ser encontradas com pimenta verde, estragão ou ervas de Provence, entre outras. São indicadas para molhos.
    4. Mostarda granulada: Também conhecida como mostarda à antiga (à l´ancienne) é elaborada com grãos inteiros de mostarda castanha (clara e torrada). É agradavelmente picante e indicada para acompanhamento de carnes frias. Combina também com aves e peixes.
    5. Mostarda com estragão: Elaborada a partir da Dijon, é indicada para carne de porco.
    6. Mostarda preta ou escura: De sabor bem característico, é elaborada com sementes de mostarda, açúcar caramelizado, raiz-forte ralada, vinagre de vinho e especiarias. Produzida na Alemanha, é indicada para acompanhar salsichas e carnes frias.
    7. Mostarda Dijon: Originária de Dijon, na França, é preparada a partir de sementes de mostardas moídas e misturadas em vinho branco, vinagre e ácido cítrico. Suave, é indicada para molhos de saladas ou para acompanhar carnes frias.
    8. Sementes de mostarda negra: Originárias da Índia são mais picantes do que as mostarda castanha. Na culinária indiana, costuma-se fritar as sementes para que seu sabor seja mais acentuado. São utilizadas no preparo do curry.
    9. Sementes de mostarda castanha: Mais suaves que as mostarda negra, são usadas na composição de temperos na Europa e nos Estados Unidos. Podem ser usadas em molhos. No Brasil, são vendidas como mostarda em grãos.

    Mostarda branca (a que se faz o condimento mostarda para cachorro quente amarela chamada de mostarda americana)
    O uso de sementes de mostarda é muito antigo, tanto para uso culinário como para uso medicinal.


    Exposição solar:  Sol / Meia sombra. Cresce melhor com luz solar direta, mas também pode ser cultivada em sombra parcial, especialmente se for cultivada durante o verão.
    Ciclo de vida: Anual
    Necessidades: Regar de forma a manter o solo sempre húmido, sem que fique encharcado. Suporta geadas leves e tolera clima quente, mas a produção e a qualidade das sementes pode ser prejudicada se a temperatura for alta durante a floração e o crescimento das vagens. O ideal é que a temperatura não ultrapasse os 27°C.  Cultivar em solo rico em matéria orgánica..
    Altura/ Porte: A planta atinge até 80 cm.
    Propagação: Semear desde a Primavera até ao início do Verão no local definitivo ou em sementeiras e transplantadas quando as mudas estiverem bem desenvolvidas e puderem ser facilmente manuseadas.
    Tipo de vaso: Precisa de espaço para se desenvolver. Cultivar em vaso de tamanho grande.
    Manutenção: Não requer grandes cuidados. Manter o solo húmido.
    Partes usadas: Folhas e sementes. As sementes são colhidas quando estas estão grandes, mas não maduras para evitar que as vagens se abram e espalhem as sementes.
    Propriedades e usos:  Na culinária as sementes de mostarda branca que são, na realidade, amarelas, são usadas para fazer mostarda amarela. São também usadas como condimento e na preparação de pratos e enchidos. Moídas ou esmagadas, as sementes melhoram o sabor dos molhos quentes ou frios e são muito saborosas quando combinadas com gengibre, limão e cebola. As suas folhas podem ser consumidas cozidas ou cruas se colhidas antes da floração.
    As folhas de mostarda são ricas em fibras, têm alto valor nutritivo, ricas em proteínas e em minerais (Ca, Fe, P) e vitaminas (A e B1, B2 e B5). Esta é uma verdura com muito poucas calorias e recomendada para as dietas de redução de peso.
    As sementes das diversas mostardas são usadas como especiaria, em molhos diversos e também para a extração de óleo de mostarda, que tem aplicações específicas na culinária asiática.

    Espécies de mostarda mais usadas

    ● Sinapis alba, a mostarda branca, é nativa da bacia do Mediterrâneo onde cresce selvagem nos campos.
    ● Brassica juncea é a mostarda marrom, da Índia.
    ● Brassica nigra é a mostarda preta, do continente americano.
     Sinapis arvensis, uma mostarda do campo, que ocorre na Península Ibérica. Esta se torna tóxica após a frutificação.





    Vale apena pesquisar.
    Usos medicinais da mostarda
     problemas respiratórios - desde a antiguidade as sementes de mostarda são usadas como cataplasma quente (sinapismo) misturadas com vinagre e mel.
    ● alívio de dores nas costas e músculos
    ● alívio do nariz entupido
    ● artrite reumatoide
     asma
    ● sintomas de menopausa
     prevenção do câncer - as sementes de mostarda contêm algumas enzimas específicas para a inibição de células cancerígenas e geram um efeito protetor contra a formação de outras células deste tipo.
    ● o óleo de mostarda é usado, na Índia para tratar o couro cabeludo e estimular o crescimento do cabelo.
    ● as sementes moídas têm ação laxante, estimulante da mucosa gástrica e aumento da secreção intestinal.
    https://www.greenme.com.br/usos-beneficios/4163-sementes-mostarda-beneficios

    Crepe-do-japão,barba de falcão ou alface do brejo (Crepis japonica)


    Crepe-do-japão,barba de falcão ou alface do brejo 
    (Crepis japonica) (Youngia japonica)


    Família Asteraceae (mesma família do dente-de-leão)

    Possivelmente já andou arrancando ou cruzou com este tal de crepe do japão nas beiradas das calçadas,na sarjeta cresce até em fresta da parede. Chamada de inço. Mas é comestível até na salada em um suco verde ou até no lugar do espinafre. O bom é consumir bem variado, um pouco de cada para variar os nutrientes. E sempre pesquisar e se atualizar das novas analises nutricionais e uso medicinais que ainda tem poucos estudos sobre elas.

    Benefícios e nutrientes são vitaminas A, C, E, minerais como potássio, ferro, carotenoides, fibras e antioxidantes. Os nutrientes e benefícios do crepe do Japão são próximos aos nutrientes do dente de leão.

    O crepe-do-Japão é indicada para afecções na garganta por ser antibactericida, antiviral, combate alergias, purifica o sangue, combate diarreia, gazes, é diurético, combate afecções dos rins e fígado, vitilico, diabetes, hipertensão, combate acidose,  é antioxidante, combatendo radicais livres, o envelhecimento precoce, o câncer e doenças crônicas.
    A melhor forma de consumir o crepe do Japão é in natura, uma forma de aproveitar melhor todos seus nutrientes e benefícios. Outra dica é colher antes de crescer o galho da florescência, o que deixa as folhas com leve amargo.

    O alface do brejo, barba de falcão ou crepe do Japão pode ser usado em refogados, sopas ou sucos.Uma porção boa,mas sem exagero.
    Descrição botânica: planta anual, herbácea, tenra, leitosa, de caule liso, de 20-50 cm de altura. Flores amarelas. Parte comestí vel e usos: folhas. Pode ser uti lizada crua ou cozida, em saladas, ensopados, tortas, bolinhos, sucos verdes e refogados. Distribuição, Ecologia e Manejo: originária da China e Japão. Ocorre no inverno em viveiros de mudas, hortas, jardins e calçadas. Prefere solos férteis e úmidos, com ambiente de meia-sombra. Propaga-se por sementes. Receita Bolinho de crepis 1 maço de crepis picadinho 1 xícara de farinha de trigo 2 ovos Sal a gosto ½ cebola pequena cortada em cubinhos Óleo para fritar Preparo: misturar todos ingredientes. Modelar com uma colher e fritar em óleo quente.
    https://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://earthmedicineinstitute.com/more/library/medicinal-plants/youngia-japonica/&prev=search

    Medicamento: Não Brasil, não há usos registrados para esta planta, na medicina tradicional chinesa é utilizada antídoto para picadas de cobras, antissussiva, febrífuga, anti-inflamatória e diurética, na forma de decocto ou macerada para uso externo.