FENO-GREGO, alforvas, ervinha, fenacho, Fenugreek (inglês), alholva (espanhol), alholva e heno griego (casteliano), fenugrek (francês), fieno greco comune (italiano), hu lu ba, hu-lu-pa e k’u-tou (chinês), mêthi (hindu).

NOMENCLATURA BOTÂNICA: TRIGONELLA FOENUM-GRAECUM
NOME COMUM: FENO-GREGO, ALFORVA, FENUGREEK
FAMILIA: FABACEAE
ORIGEM: INDIA, ÁSIA, EUROPA
ALTURA: 1 METRO DE ALTURA
LUMINOSIDADE: PLENO SOL
CLIMA: VER DESCRIÇÃO ABAIXO

O FENO-GREGO JÁ DESDE ÉPOCAS MUITO ANTIGAS FOI UTILIZADO PELO HOMEM COMO ESPECIARIA E COMO PLANTA MEDICINAL. É TAMBÉM CONHECIDA EM PORTUGUÊS PELO NOME, DE ORIGEM ÁRABE, DE ALFORVA.

É UM CONSTITUINTE ESSENCIAL NO PREPARO DO CURRY INDIANO.

OS PRINCIPAIS PAÍSES PRODUTORES SÃO INDIA, IRÃ, NEPAL, BANGLADESH, PAQUISTÃO, ARGENTINA, EGITO, FRANÇA, ESPANHA, TURQUIA, MARROCOS E CHINA. O MAIOR PRODUTOR DE FENO-GREGO NO MUNDO É A INDIA.

O FENO-GREGO TEM TRÊS FORMAS DE USO NA CULINÁRIA: COMO UMA ERVA (FOLHAS SECAS OU FRESCAS), COMO UM TEMPERO (SEMENTES), E COMO UM VEGETAL (FOLHAS FRESCAS E BROTOS). “SOTOLON” É A SUBSTÂNCIA QUIMICA RESPONSÁVEL PELO CARACTERISTICO CHEIRO DOCE DE FENO-GREGO, O MESMO É UTILIZADO PARA AROMATIZAR E ACRESCENTAR SABOR AOS XAROPES ARTIFICIAIS DE BORDO.

AS SEMENTES SÃO AMPLAMENTE USADAS COMO AGENTE PARA AUMENTAR A PRODUÇÃO DE LEITE EM MULHERES LACTANTES.

UMA INFINIDADE DE ATRIBUTOS RELACIONADOS ÀS SUAS PROPRIEDADES MEDICINAIS É RELATADO COM BASE EM DIVERSOS ESTUDOS CLINICOS AO REDOR DO MUNDO. FAZ PARTE DAS FARMACOPEIAS AYURVEDICA E CHINESA.

AS SEMENTES GERMINADAS DE FENO-GREGO SÃO UMA VALIOSA ADIÇÃO À DIETA DE DIABÉTICOS, GERALMENTE CONSUMIDAS EM SANDUICHES OU EM SOPAS.

FENO-GREGO TEM MUITOS USOS E SÃO DEMASIADAMENTE NUMEROSOS PARA LISTAR TODOS.

A ESPÉCIE NÃO GOSTA DE SER TRANSPLANTADA, SE NÃO TIVER EXPERIÊNCIA EM TRANSPLANTE DE PLANTAS, MELHOR SEMEAR EM LOCAL DEFINITIVO, 0,5 CM DE PROFUNDIDADE, 20 CM DE DISTÂNCIA ( SOLO QUE PROMOVA BOA DRENAGEM E LOCAL ENSOLARADO).O SOLO DEVE SER MANTIDO ÚMIDO ATÉ QUE OS BROTOS VERDES POSSAM EMERGIR DO SOLO; DEPOIS REGAR SOMENTE QUANDO O SOLO ESTIVER SECO.

A QUALIDADE DAS FOLHAS IRÁ DIMINUIR UMA VEZ QUE OS BOTÕES FLORAIS APAREÇAM, A COLHEITA DEVE SER FEITA ANTES DESSE MOMENTO (EM MÉDIA 6 A 8 SEMANAS).http://www.thjardins.com.br/php/shopping_produtos_detalhe.php?produto=857&produto_nome=TRIGONELLA-FOENUM-GRA

ECUM-FENO-GREGO,-ALFORVA,-FENUGREEK

Trigonella foenum-graecum (feno-grego) é uma espécie vegetal da família Fabales,[sendo a espécie mais comum do génerobotânico Trigonella.
O feno-grego já desde épocas muito antigas foi utilizado pelo homem como especiaria e como planta medicinal. É também conhecida em português pelo nome, de origem árabe, de Alforva, e é um dos constituintes do caril (também conhecido como curry) indiano.

Culinários As sementes sāo utilizadas na cozinha asiática e têm um sabor amargo.

As folhas em forma fresca ou ressecada também sāo utilizadas.

Medicinais

As folhas sāo utilizadas como erva medicinal:

Constituintes químicos: ácido malônico, albuminas, carpaína, glicídeosluteonina, oligossacarídeos, proteínas, quercetina, trigogenina. Carbohidratos, (principalmente mucílagens galactomananas), prótidos, compostos fosforados (lecitina, fitina), colina, trigonelina, saponosídeos esteroídicos (diosgenina/yamogenina, fenogrequina), fitosteróis (colesterol, sitosterol), flavonóides (vitexina, saponaretina, trigonelina, homoorientina), ácidos graxos insaturados (oléico, linoléico, palmítico), traços de cumarinas, ferro, manganês, vitamina A, niacina, tiamina, riboflavina, traços de óleo essencial rico em anetol.

Propriedades medicinais: aperitivo, antianêmico, antiinflamatória, anti-séptico, antitumoral, antitussígena, demulcente, digestiva, emoliente, estimulante, fortificante, galactógeno, hepatoprotector, hipoglicêmica suave, laxante, revigorante geral, tônica.

Indicações: anemia ferropênica, anorexia, astenia, celulite, crianças com dificuldades no desenvolvimento físico e psíquico, constituição física fragil, diabete, dispepsia hiposecretora, furunculos, gastrite, inflamações, intestino preso, perda de peso.
Em uso tópico: acne, faringite, blefaroconjuntivite, vulvovaginite, eczema, abscesso, furúnculo.

Parte utilizada: sementes.

Contra-indicações/cuidados: gravidez, lactação. Controlar a glicemia de pacientes diabéticos insulinodependentes (pois reduz a absorção de glucídeos).
Na medicina tradicional chinesa: rins, dor abdominal ou testicular (que agrava com o frío), dor de hérnia, lombares e edemas nas pernas.

Modo de usar:
- infusão ou decocção de 0,5 g a 5 g de pó das sementes para 1/4 de litro de água, a tomar duas ou três vezes durante o dia. (O odor e gosto desagradáveis podem ser diminuídos pela adição de essência de hortelã ou de laranja).
- sementes moídas (diluídas em leite) em cataplasmas quentes: equimoses, inchaços e úlceras.
- decocção para uso interno: ferver 10 a 15 minutos uma colher de sopa de sementes em 400 ml de água, beber de manhã em gejum. Tomar de forma descontínua (semana alternadas). http://www.plantamed.com.br/plantaservas/especies/Trigonella_foenum-graecum.htm


Uma das mais antigas plantas medicinais cultivadas, seu uso é terapêutico desde a antiguidade. O feno-grego, hoje, está presente na agricultura dos países do Mediterrâneo, Argentina, França, Índia, norte da África e nos Estados Unidos. Neste, é vendido sob inúmeras utilidades: como uma comida, condimento, planta medicinal e forrageira.

Fenugreek (trigonella foenum-graecum), em tradução livre feno-grego, é uma erva nativa do sul da Europa e da Ásia, mais conhecido como alfarva. Uma das mais antigas plantas medicinais cultivadas, seu uso é terapêutico desde a antiguidade. O feno-grego, hoje, está presente na agricultura dos países do Mediterrâneo, Argentina, França, Índia, norte da África e nos Estados Unidos. Neste, é vendido sob inúmeras utilidades: como uma comida, condimento, planta medicinal e forrageira.

O feno-grego pode chegar de 0,3m a 0,8m de altura e possui flores brancas, que surgem no começo do verão e desenvolvem-se em uma longa, delgada e amarelo/marrom espécie de casca que abriga sementes de feno-grego, as quais são utilizadas no comércio.

Para que serve
O feno-grego possui diversos benefícios. É considerado anticancerígeno, redutor dos níveis de glicose para diabéticos e possui funções antioxidantes, que impedem danos causados por radicais livres. O feno-grego possui, em suas sementes, proteína, Vitamina C, niacina, potássio, diosgenina (composto que tem propriedades similares ao estrógeno), alcaloides, lisina e L-triptofano, assim como saponinas esteroides (diosgenina, yamogenin, tigogenin e neotigogegin).
Essa erva é considerada uma planta digestiva, associada ao melhor funcionamento do sistema digestório. Pode ser consumida com o intuito da perda de peso, pois é também um laxante natural e inibidor do apetite. Além disso, o feno-grego também diminui o desconforto do período menstrual e minimiza sintomas da menopausa. Pode ser utilizada para tratar anemia, anorexia, celulite, problemas de desenvolvimento infantil, gastrite, inflamações, intestino preso, furúnculos, caspa, queda de cabelo etc.
Um dos principais usos e benefícios do feno-grego, no entanto, é na estimulação da produção de leite em mulheres que amamentam, utilizado para esse fim há séculos. As mães já costumam sentir o aumento de produção de leite 24-72 horas após a primeira dose de feno-grego. A dosagem de 3500mg por dia tem sido a ideal para produzir tais efeitos.
Devido às propriedades estrógenas do feno-grego, suas sementes podem ser utilizadas para aumentar a libido e diminuir os efeitos de ondas de calor e de oscilações de humor, muito comuns na menopausa e na TPM.

Para balancear o colesterol
Estudos mostram que pessoas que tomam 56g de feno-grego diariamente alcançam mudanças significativas nos níveis de colesterol – em torno de 14% de redução. Depois de 24 semanas, as chances de que ocorram ataques cardíacos são diminuídas em 25%. As sementes podem ser consumidas junto às refeições ou na forma de cápsulas, ingeridas com água.

O feno-grego, assim, diminui o nível de colesterol ruim (LDL), diminuindo também as chances de problemas cardiovasculares; age, também, contra as diabetes do tipo 1 e 2, diminuindo a taxa de glicose no sangue.

Para problemas de pele
Pesquisas ainda indicam o feno-grego como um efetivo componente para tratar problemas de pele como abcessos, furúnculos, queimaduras, eczema e gota. Para inflamações de pele mais simples, basta encher uma colher com sementes de feno-grego e tritura-las para virarem pó. Em seguida, misturar esse pó com água morna, mergulhando um pedaço de pano limpo na mistura para depois aplicá-lo nas regiões afetadas da pele.

Para tratar refluxos e azia
As sementes do feno-grego contêm uma grande quantidade de mucilagem, composto que ajuda a acalmar inflamações gastrointestinais, revestindo a mucosa do estômago e do intestino. Polvilhe uma colher de chá de sementes de feno-grego em seu alimento, ou tome uma colher de chá de sementes e engula-os com água ou suco antes de qualquer refeição. Isso servirá como um remédio eficaz contra a azia ou o refluxo.

Benefícios para as mulheres
Além de todos os benefícios já citados, o fenugreek ainda é utilizado como ingrediente de vários chás e outros produtos que ajudam a balancear os hormônios femininos e/ou aumentar os seios. Para isso, recomenda-se adicionar o feno-grego na dieta do dia-a-dia; uma sugestão é consumir 3g de semente diariamente.
Outro efeito do feno-grego é o de aumentar a produção do leite materno. Estudos mostram que ele é capaz de aumentar mais de 500% essa produção após 24-72 horas do seu consumo. A quantidade recomendada é de 1 cápsula de semente de feno-grego (500mg) 3 vezes ao dia.
O feno-grego ainda é muito utilizado por mulheres na hora do parto, pois estimula as contrações uterinas. Mulheres grávidas devem consumi-lo para esse fim apenas com o consentimento de seus médicos.

Feno-grego ajuda a emagrecer?
As sementes dessa erva são ricas em polissacarídeos conhecidos como galactomannan, o qual também é utilizado em suplementos alimentares. Pesquisas mostram que esse composto gera a sensação de saciedade, o que ajuda no processo da perda de peso. A pesquisa ainda mostra que o feno-grego possui mais de 75% de fibras solúveis, o que também auxilia para a sensação de saciedade.

Efeitos colaterais
Feno-grego é considerado seguro para mães que estão na fase de amamentação, se usado com moderação. Contudo, mesmo sendo praticamente um produto natural, essa planta possui efeitos colaterais a longo prazo ou se consumida de forma errada. Alguns exemplos são: suor, urina e/ou leite materno cheirando xarope de bordo (maple syrup), desconforto intestinal e náuseas, aplicações externas podem gerar reações cutâneas indesejáveis etc.
Caso a pessoa tenha alergia a amendoim ou grão-de-bico, deve-se evitar o feno-grego, pois esses alimentos são da mesma família da erva. Diabéticos ou hiperglicêmicos devem utilizá-lo com cautela, pois o feno-grego diminui o nível de glicose no sangue. Asmáticos não devem seguir a indicação de que a inalação de feno-grego ajuda com a doença, pois essa prática poderá até piorá-la.
Outro cuidado que deve-se ter ao consumir o fenugreek é com relação a outras drogas ou ervas que são tomadas regularmente, pois estas podem afetar na absorção da erva. É importante consultar um médico antes de consumir qualquer medicamento, mesmo que este seja natural.


  • Summary
  • Brand:
    Product: Sementes de Feno-Grego (Trigonella foenum graecum)
    Description: Sementes de Feno-Grego (Trigonella foenum graecum) Preço para o pacote de 50 sementes. Fenugreek (trigonella foenum-graecum), em tradução livre feno-grego, é uma erva nativa do sul da Europa e da Ásia, mais conhecido como alfarva. Uma das mais antigas plantas medicinais cultivadas, seu uso é terapêutico desde a antiguidade. O feno-grego, hoje, está presente na agricultura dos países do Mediterrâneo,
    Category: Home

    Iris desabrochando testando app android descrição no próprio vídeo




    Nome Científico: Neomarica candida



    Nomes Populares: Íris-da-praia, Íris-caminhante, Planta-dos-apóstolos, Doze-apóstolos, Falsa-íris, Lírio-roxo-das-pedreiras, Lírio-roxo-das-pedras, Íris
    Família: Iridaceae

    Origem: América do Sul, Brasil

    Mostardas comparando variedades (em construção)






    As sementes compradas como condimento podem ser semeadas (o pó não ser)

    Entrou na moda conhecido como chá de atleta

    Chá de Mostarda Branca – Modo de preparar

    Ingredientes
    1 colher de sopa de erva doce
    1 pedaço de canela em pau
    1 colher de sopa de sementes de mostarda
    1 litro d’águahttps://remediodaterra.com/beneficios-do-cha-de-mostarda-branca/

    variedades de sementes

    mostarda preparada são numerosos, embora todos a partir de três variedades de sementes: Black ( "Brassica nigra"), branco ( "Brassica alba") e marrom ( "Brassica juncea") Em primeiro lugar, nativa do sul da Europa e no oeste da Ásia, é caracterizada por um picante intenso, forte e gosto áspero, e porque suas sementes têm um marrom avermelhado característica do marrom é classificada em dois tipos: oriental, amplamente utilizado na culinária japonesa, e na Índia, como o nome é usado numa variedade de receitas típicos deste branco país tem uma mais suave e menos agitada do que o sabor anterior e serve como uma base para o desenvolvimento de uma cor amarelo mostarda, também chamado americana
    1. A Semente: Da semente se faz um pó que pode ser usado assim mesmo, ou então, em pasta com vinagre e temperos. Ideal na maionese e molhos para salada (principalmente de batatas). Tempera muito bem carnes. A semente pode ser usada para dar gosto em conservas e picles.
    2. Mostarda em pó: É uma mistura de farinha de mostarda, feita com sementes de mostarda e farinha de trigo. Pode-se também adicionar cúrcuma. Muito picante é tradicional na Inglaterra. É usada no preparo de mostarda em pasta e para temperar maionese.
    3. Mostarda com pimenta verde: Elaborada a partir da Dijon, as mostardas temperadas podem ser encontradas com pimenta verde, estragão ou ervas de Provence, entre outras. São indicadas para molhos.
    4. Mostarda granulada: Também conhecida como mostarda à antiga (à l´ancienne) é elaborada com grãos inteiros de mostarda castanha (clara e torrada). É agradavelmente picante e indicada para acompanhamento de carnes frias. Combina também com aves e peixes.
    5. Mostarda com estragão: Elaborada a partir da Dijon, é indicada para carne de porco.
    6. Mostarda preta ou escura: De sabor bem característico, é elaborada com sementes de mostarda, açúcar caramelizado, raiz-forte ralada, vinagre de vinho e especiarias. Produzida na Alemanha, é indicada para acompanhar salsichas e carnes frias.
    7. Mostarda Dijon: Originária de Dijon, na França, é preparada a partir de sementes de mostardas moídas e misturadas em vinho branco, vinagre e ácido cítrico. Suave, é indicada para molhos de saladas ou para acompanhar carnes frias.
    8. Sementes de mostarda negra: Originárias da Índia são mais picantes do que as mostarda castanha. Na culinária indiana, costuma-se fritar as sementes para que seu sabor seja mais acentuado. São utilizadas no preparo do curry.
    9. Sementes de mostarda castanha: Mais suaves que as mostarda negra, são usadas na composição de temperos na Europa e nos Estados Unidos. Podem ser usadas em molhos. No Brasil, são vendidas como mostarda em grãos.

    Mostarda branca (a que se faz o condimento mostarda para cachorro quente amarela chamada de mostarda americana)
    O uso de sementes de mostarda é muito antigo, tanto para uso culinário como para uso medicinal.


    Exposição solar:  Sol / Meia sombra. Cresce melhor com luz solar direta, mas também pode ser cultivada em sombra parcial, especialmente se for cultivada durante o verão.
    Ciclo de vida: Anual
    Necessidades: Regar de forma a manter o solo sempre húmido, sem que fique encharcado. Suporta geadas leves e tolera clima quente, mas a produção e a qualidade das sementes pode ser prejudicada se a temperatura for alta durante a floração e o crescimento das vagens. O ideal é que a temperatura não ultrapasse os 27°C.  Cultivar em solo rico em matéria orgánica..
    Altura/ Porte: A planta atinge até 80 cm.
    Propagação: Semear desde a Primavera até ao início do Verão no local definitivo ou em sementeiras e transplantadas quando as mudas estiverem bem desenvolvidas e puderem ser facilmente manuseadas.
    Tipo de vaso: Precisa de espaço para se desenvolver. Cultivar em vaso de tamanho grande.
    Manutenção: Não requer grandes cuidados. Manter o solo húmido.
    Partes usadas: Folhas e sementes. As sementes são colhidas quando estas estão grandes, mas não maduras para evitar que as vagens se abram e espalhem as sementes.
    Propriedades e usos:  Na culinária as sementes de mostarda branca que são, na realidade, amarelas, são usadas para fazer mostarda amarela. São também usadas como condimento e na preparação de pratos e enchidos. Moídas ou esmagadas, as sementes melhoram o sabor dos molhos quentes ou frios e são muito saborosas quando combinadas com gengibre, limão e cebola. As suas folhas podem ser consumidas cozidas ou cruas se colhidas antes da floração.
    As folhas de mostarda são ricas em fibras, têm alto valor nutritivo, ricas em proteínas e em minerais (Ca, Fe, P) e vitaminas (A e B1, B2 e B5). Esta é uma verdura com muito poucas calorias e recomendada para as dietas de redução de peso.
    As sementes das diversas mostardas são usadas como especiaria, em molhos diversos e também para a extração de óleo de mostarda, que tem aplicações específicas na culinária asiática.

    Espécies de mostarda mais usadas

    ● Sinapis alba, a mostarda branca, é nativa da bacia do Mediterrâneo onde cresce selvagem nos campos.
    ● Brassica juncea é a mostarda marrom, da Índia.
    ● Brassica nigra é a mostarda preta, do continente americano.
     Sinapis arvensis, uma mostarda do campo, que ocorre na Península Ibérica. Esta se torna tóxica após a frutificação.





    Vale apena pesquisar.
    Usos medicinais da mostarda
     problemas respiratórios - desde a antiguidade as sementes de mostarda são usadas como cataplasma quente (sinapismo) misturadas com vinagre e mel.
    ● alívio de dores nas costas e músculos
    ● alívio do nariz entupido
    ● artrite reumatoide
     asma
    ● sintomas de menopausa
     prevenção do câncer - as sementes de mostarda contêm algumas enzimas específicas para a inibição de células cancerígenas e geram um efeito protetor contra a formação de outras células deste tipo.
    ● o óleo de mostarda é usado, na Índia para tratar o couro cabeludo e estimular o crescimento do cabelo.
    ● as sementes moídas têm ação laxante, estimulante da mucosa gástrica e aumento da secreção intestinal.
    https://www.greenme.com.br/usos-beneficios/4163-sementes-mostarda-beneficios

    Crepe-do-japão,barba de falcão ou alface do brejo (Crepis japonica)


    Crepe-do-japão,barba de falcão ou alface do brejo 
    (Crepis japonica) (Youngia japonica)


    Família Asteraceae (mesma família do dente-de-leão)

    Possivelmente já andou arrancando ou cruzou com este tal de crepe do japão nas beiradas das calçadas,na sarjeta cresce até em fresta da parede. Chamada de inço. Mas é comestível até na salada em um suco verde ou até no lugar do espinafre. O bom é consumir bem variado, um pouco de cada para variar os nutrientes. E sempre pesquisar e se atualizar das novas analises nutricionais e uso medicinais que ainda tem poucos estudos sobre elas.

    Benefícios e nutrientes são vitaminas A, C, E, minerais como potássio, ferro, carotenoides, fibras e antioxidantes. Os nutrientes e benefícios do crepe do Japão são próximos aos nutrientes do dente de leão.

    O crepe-do-Japão é indicada para afecções na garganta por ser antibactericida, antiviral, combate alergias, purifica o sangue, combate diarreia, gazes, é diurético, combate afecções dos rins e fígado, vitilico, diabetes, hipertensão, combate acidose,  é antioxidante, combatendo radicais livres, o envelhecimento precoce, o câncer e doenças crônicas.
    A melhor forma de consumir o crepe do Japão é in natura, uma forma de aproveitar melhor todos seus nutrientes e benefícios. Outra dica é colher antes de crescer o galho da florescência, o que deixa as folhas com leve amargo.

    O alface do brejo, barba de falcão ou crepe do Japão pode ser usado em refogados, sopas ou sucos.Uma porção boa,mas sem exagero.
    Descrição botânica: planta anual, herbácea, tenra, leitosa, de caule liso, de 20-50 cm de altura. Flores amarelas. Parte comestí vel e usos: folhas. Pode ser uti lizada crua ou cozida, em saladas, ensopados, tortas, bolinhos, sucos verdes e refogados. Distribuição, Ecologia e Manejo: originária da China e Japão. Ocorre no inverno em viveiros de mudas, hortas, jardins e calçadas. Prefere solos férteis e úmidos, com ambiente de meia-sombra. Propaga-se por sementes. Receita Bolinho de crepis 1 maço de crepis picadinho 1 xícara de farinha de trigo 2 ovos Sal a gosto ½ cebola pequena cortada em cubinhos Óleo para fritar Preparo: misturar todos ingredientes. Modelar com uma colher e fritar em óleo quente.
    https://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://earthmedicineinstitute.com/more/library/medicinal-plants/youngia-japonica/&prev=search

    Medicamento: Não Brasil, não há usos registrados para esta planta, na medicina tradicional chinesa é utilizada antídoto para picadas de cobras, antissussiva, febrífuga, anti-inflamatória e diurética, na forma de decocto ou macerada para uso externo.

    Melissa

    Melissa officinalis
    Nome popular: Melissa / Erva-Cidreira / Chá da França



    Herbácea perene que alastra. As folhas têm aroma agradável de limão. Usar folhas  para chás, sopas e doces. Na medicina natural, a melissa é utilizada para baixar pressão, tratar gripes, resfriados, tensão e insônia. Atrai abelhas. 
    Como plantar: escolha bem a área do canteiro, preferencialmente terras com alto teor de matéria orgânica. Em geral, as ervas não devem ser cultivadas com uso de adubos químicos para se obter um sabor mais intenso e plantas mais compactas.


    uma semana antes da semeadura ou do transplante. Irrigar uma vez por dia, sem encharcar, de preferência no início da manhã ou no final da tarde. Também podem ser cultivadas em vasos dentro de casa.

    Dicas: gosta de solo úmido e rico em matéria orgânica. Plantar em pleno sol ou meia-sombra. Podar fortemente para continuar produzindo.
    Época de plantio: todo o ano, exceto em épocas de geadas.

    Germinação: de 7 a 21 dias

    TOMATILLO "RIO VERDE", tomate verde Physalis ixocarpa

      
     


    Usos: Consumo ao natural. Deliciosas SALSA  (molhos)  verdes.
    Cultivo: Muito Fácil.
    Nativa: Mexico
    Família: Solaceae

    Os tomatillos estão prontos para ser colhidos aproximadamente 100 dias após o transplante da planta. para melhor saber colha somente quando as folhas trocarem a cor de verde para bege.
    . Temperaturas de 20 a 30 graus. Menos de 20 graus e a germinação pode demorar, muito menos temperaturas ou temperaturas muito quentes, acima de 35 graus, e podem não germinar.

    Feijooa árvore frutífera nativa tb chamada de goiaba-serrana

     Acca sellowiana
    Nomes Populares: Feijoa, Goiaba-da-serra, Goiaba-serrana, Goiaba-ananás, Goiaba-abacaxi, Goiaba-do-mato, Goiaba-do-campo, Goiaba-crioula, Araçá-do-rio-grande, Guarobí

    Família: Myrtaceae
    Origem: Brasil,América do SulArgentina, ParaguaiUruguai

    No Brasil ainda é pouco conhecida e rara. Atribui-se isso ao fato de ser uma planta ainda pouco domesticada e seu frutos ser bastante perecível após a colheita, não resistindo mais que duas semanas. Há cerca de 4 cultivares melhoradas no Brasil, produzidas pelas EPAGRI, de Santa Catarina. Já a Nova Zelândia está bem mais adiantada, com mais de 30 cultivares produtivas, e outras tantas em desenvolvimento.
     As flores podem surgir solitárias ou em cachos. Os frutos amadurecem no outono e são elipsóides, sumarentos, com polpa gelatinosa, translúcida e brilhante no centro e granulosa, branca e opaca próximo à casca. A casca é verde, independente se o fruto está maduro ou não. Os frutos maduros caem no chão. Para saber o ponto certo da colheita, deve-se passar diariamente, verificando se o fruto está ligeiramente mais macio e se solta facilmente do ramo. A polpa é doce e ácida, com um perfume encantador. Diz-se que lembra a goiaba, o abacaxi e o morango, no sabor. 



    As pétalas das flores da feijoa são doces e comestíveis também, sendo utilizadas em saladas e para adornar pratos. O fruto é consumido cozido ou mais frequentemente in natura, simplesmente partido ao meio e comido de colher, como uma deliciosa sobremesa. Com ele pode-se preparar sucos, vitaminas, mousses, geléias, compotas, sorvetes, licores, e uma infinidade de preparações culinárias. O frutos maduros se conservam em geladeira, mas por pouco tempo, e sua polpa pode ser congelada. Pesquisas em diversos países, apontam a feijoa como uma “superfruta”, um alimento com propriedades importantes, por seu conteúdo de vitaminas, minerais e substancias antioxidantes.







    A feijoa se destaca no paisagismo principalmente por suas belas e delicadas flores. Ela pode ser utilizada isolada, em grupos e até mesmo em renques, formando boas cercas vivas. Admite podas de formação, que deixam a copa mais densa, embora prejudique a produção de frutos. Para estimular a produção de frutos, convém deixar a copa limpa e arejada. É ideal também para cultivar em vasos, adornando pátios, sacadas, entre outros espaços pavimentados ao ar livre.
    Prefere o clima subtropical, com pelo menos 50 horas de frio para uma produção de frutos satisfatória. Tolerante a geadas, sofrendo apenas com danos leves caso ocorra geada fora de época. Teme o vento intenso. Multiplica-se por sementes, estaquia e enxertia. As sementes germinam em 40 a 90 dias após o plantio. Transplantar mudas com 40 cm ou mais, em dias nublados. A produção inicia-se entre 4 a 9 anos após o plantio, dependendo da origem das mudas. Bem adubada e sem estres de seca prescritiva de até em 3 anos.
    É preciso plantas no mínimo 2 plantas para uma melhor produção. Floresce por 2 ou 3 anos consecutivos mais sem produção. Só produz boa quantidade de frutos a partir dos 9 anos de idade. 

    Frutifica de fevereiro a maio. Os frutos são consumidos in-natura, na forma de sucos, sorvetes e doces.

    Cozida lembra goste de araçazada.

    Mudas no colecionadorde frutas raras veja quantidade minima de compra e freteno proprio site.  http://www.colecionandofrutas.org/accasellowiana.htm

    PANC ERVA PEPINO

    Erva pepino ou erva de ganso.


    Ginseng-brasileiro é uma planta nativa e medicinal identificando...

    fáfia ou ginseng-brasileiro é uma planta nativa cujo nome popular é para-tudo. O seu nome já indica que a fáfia é aconselhada para uma grande diversidade de situações de saúde.
    No Brasil temos identificadas 20 espécies do gênero Pfaffia que diferem conforme a região de origem porém, na medicina popular todas têm indicação e, em geral são conhecidas como para-tudo ou suma. Existem fáfias em todos os biomas e, é mais abundante no cerrado.
    As mais conhecidas e estudadas são a Pfaffia paniculata, nativa daAmazônia e cujo extrato compõe a fitoterapia nacional já a longos anos. Outras duas também bastante estudadas são a Pfaffia iresinoides,Pfaffia glomerata.
    O que aproxima esta planta do ginseng oriental (Panax sp) são suas qualidades curativas, mais concentradas na raiz, e o formato desta que, em muitas vezes, apresenta antropomorfismo.
    O Ginseng-Brasileiro (Pfaffia paniculata) é uma planta medicinal também conhecida como Ginseng-do-Brasil (Brazillian Ginseng), Ginseng-da-Amazônia, Ginseng-Amazônico, Suma, Cenoura-Brasileira e Para-Todo. Pertence a família Amarantheaceae. Usos Tradicionais: AIDS (HIV), anemia, bronquites, câncer, candidíase, diabetes, esclerose múltipla, hipoglicemia, tensão, tuberculose, tumores, vírus de Epstein-barr. Propriedades Medicinais: adaptógeno, afrodisíaco, demulcente, imunoestimulante, nutritivo, regulador de açúcar no sangue, tônico.
    plantasmedicinaisefitoterapia -ginseng-brasileiro/
    Saiba mais: http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/plantas-medicinais-ginseng-brasileiro/ .

    As indicações de uso se assemelham às do ginseng oriental:

    • fadiga, estresse, cansaço físico ou psíquico - estes são os usos mais comuns em todas as regiões
    • problemas estomacais
    • problemas sanguíneos - circulatórios, anemia, plaquetas
    • imunidade
    As fáfias, em geral, são usadas em garrafadas, como tônicoaperiente eestimulante. Também são muito indicadas em casos de dores de cabeça de origem hepática.
    Mas, seu uso não é recomendado em casos de pessoas com especial sensibilidade aos princípios ativos e nem se aconselha o aumento das doses indicadas pelo médico, erveiro, curandeiro ou fitoterapeuta que são os profissionais capacitados para a recomendação clínica.
    Vitaminas A, B2, B3, B12, C, D, E, F, ácido pfáfico, fosfosídeos, estigmasterol (hormônio), sitosterol (outro hormônio), alantoína (bom cicatrizante de feridas), fósforo, cálcio, potássio, aminoácidos, mucilagem e saponinas (foram descobertas seis, por Kamadawa, na Escola de Farmácia da Universidade de Hokuriku, Japão).

    Leia mais:http://www.noticiasnaturais.com/2015/01/pfaffia-conheca-os-beneficios-do-ginseng-brasileiro/#ixzz4r3crJpad
    PESQUISANDO
    Aconselha-se usá-la em pó da raiz na quantidade de 5 a 10 g ou por decocção da raiz (10g também) ao dia. Há cápsulas no mercado.
    Anti-fadiga 
    Colocar uma colher de sobremesa de raiz em pó em uma xícara e adicionar água fervente. Abafar por dez minutos, esperar esfriar um pouco e coar. Tomar uma xícara em jejum pela manhã e outra à noite.
    Anti-fadiga e anti-anêmica 
    Colocar duas colheres de sopa de pó em uma garrafa de vinho branco seco. Deixe macerar por uma semana, agitando a garrafa de vez em quando e coe. Tomar um cálice de duas a três ao dia, antes das principais refeições.
    Tônico 
    Em uma xícara, colocar uma colher de sobremesa de pó de raiz de Pfaffia e uma de Guaraná em pó, adicionando-se água fervente. Abafado, por dez minutos e beber ainda morno. Tome-se uma xícara após o café da manhã e outra à tarde.
    Cefaleia, estresse
    Uma colher de sopa de pó, dever ser colocada em uma xícara de álcool de cereais a 60 %. Deixando-se tudo em maceração por dez dias, coe em pano, espremendo bem o conteúdo. Tome de dez a quinze gotas ou uma colher de chá em pouco de água, duas vezes ao dia (uma pela manhã e outra a noite).